Richard Branson ganha estrela na calçada da fama

Criador da Virgin Records relembrou dias de sexo, drogas e rock 'n roll.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
GettyImages
GettyImages

O empresário britânico de 68 anos é o responsável pelas empreitadas do grupo Virgin.

Acessibilidade


O empresário bilionário Richard Branson relembrou ontem (16) uma era de sexo, drogas e rock n’ roll ao acrescentar uma estrela na calçada da fama de Hollywood à sua lista de feitos.

VEJA TAMBÉM: Como The Rock se tornou o ator mais bem pago de Hollywood

Branson, de 68 anos, o empresário britânico rebelde por trás das empreitadas do grupo Virgin em lojas de discos, companhias aéreas e viagens espaciais, revelou sua estrela com a ajuda dos cantores Lance Bass e Ben Harper – dois de muitos dos músicos que contratou em seu selo Virgin Records.

“Dirigir uma gravadora pode ser muito divertido, e sim, isso envolveu sexo, drogas e rock ‘n roll”, disse Branson.

Nomeado cavaleiro pela rainha da Inglaterra Elizabeth em 2000, o bilionário – que tem patrimônio estimado por FORBES em US$ 5 bilhões – reuniu uma multidão de apoiadores na cerimônia em Hollywood com histórias como a de ter levado Janet Jackson em um passeio de balão para convencê-la a assinar com a Virgin, ter abrigado o cantor britânico Boy George quando ele lutava contra o vício em heroína e encontrado o guitarrista dos Rolling Stones Keith Richards pelado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Branson disse que se sentia especialmente satisfeito por ter contratado os Rolling Stones para a Virgin Records em 1992. “Naquela noite, me contaram, tivemos uma festa da qual nenhum de nós se lembra”, brincou Branson, usando uma jaqueta de couro preta, jeans e uma camisa branca de gola aberta.

O executivo fundou a Virgin Records em 1972, escolhendo o nome porque lhe faltava experiência nos negócios. A companhia fechou com alguns dos grandes nomes da música, incluindo Spice Girls, Sex Pistols e Roy Orbison, antes de ser vendida em 1992 para financiar o empreendimento de Branson na Virgin Atlantic Airways.

Branson também abriu as Virgin Megastores, que vendiam discos, jogos e DVDs por todo o mundo, antes de fecharem há cerca de 10 anos, por conta do avanço da música digital.

E AINDA: 8 dicas de liderança de Mick Jagger

“Esse homem é um sonhador que inspirou tantos de nós”, disse Bass, que foi membro da boy band
. “Por favor, nunca pare de sonhar.”

Compartilhe esta publicação: