Castello Branco é sondado para assumir Petrobras

Segundo fontes, atual diretor da FGV não teria demonstrado interesse no cargo.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Getty Images
Getty Images

Castello Branco tem se reunido com a equipe de Bolsonaro para contribuir com conhecimentos dos setores de petróleo e mineração

Acessibilidade


Roberto Castello Branco, ex-diretor da Vale e ex-conselheiro da Petrobras, foi sondado informalmente para assumir o cargo de presidente da petroleira estatal pela equipe econômica do presidente eleito, Jair Bolsonaro, afirmaram duas fontes com conhecimento do tema.

LEIA MAIS: Cosan avalia parceria em refino com Petrobras

Em um primeiro momento, sem qualquer convite oficial, Castello Branco tem buscado apenas contribuir com ideias e sua experiência no setor, e não teria demonstrado interesse imediato no cargo, de acordo com as fontes, que falaram na condição de anonimato. Hoje diretor da Fundação Getulio Vargas (FGV), Castello Branco foi procurado pela equipe de Bolsonaro, liderada pelo economista Paulo Guedes, segundo uma das fontes. Castello Branco estaria aberto a avaliar a situação, caso seja feito um convite formal, acrescentou.

A segunda fonte detalhou que o nome dele para a Petrobras circula entre os grupos que assessoram Bolsonaro. O nome de Castello Branco é o primeiro que desponta em conversas realizadas pela equipe de Bolsonaro para presidir a petroleira estatal.

Ele tem doutorado em Economia pela FGV e pós-doutorado também em Economia pela Universidade de Chicago, segundo seu Currículo Lattes publicado na internet. A Universidade de Chicago, também frequentada por Paulo Guedes, é considerada uma instituição de linha liberal.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Procurados, assessores do novo presidente não comentaram o assunto.

Paulo Guedes, que comandará um superministério da área econômica no governo Bolsonaro, disse ontem (30), após reunião com o núcleo duro do governo, incluindo o presidente eleito, que os comandos das estatais ainda não foram definidos.

Compartilhe esta publicação: