Quatro grandes ideias da feira de tecnologia CES 2019

Getty Images
Na CES 2019, não se viu uma novidade exatamente revolucionária, mas foram apresentados muitos avanços em ideias que agora estão perto de se tornar realidade.

Todos os anos, a Consumer Electronics Show (CES), grande feira realizada em Las Vegas com patrocínio da Consumer Electronics Association, apresenta as novidades da mais alta tecnologia. A edição 2019 não decepcionou. De 8 a 11 de janeiro, no Las Vegas Convention Center, estavam lá algumas das maiores sacadas tecnológicas dos últimos dois anos, como realidade aumentada, blockchain e Inteligência Artificial (IA), que têm cada vez mais produtos próximos dos consumidores — o evento contou até mesmo com uma exibição de carros voadores.

LEIA MAIS: Galeria de Paris abre mostra imersiva de Van Gogh

Quando lançados, os conceitos exibidos na CES poderão revolucionar a forma como nos movemos, o modo como compramos e a maneira como consumimos entretenimento, nas horas de lazer. Confira as 4 maiores ideias da CES 2019:

 

1. A realidade aumentada se sofistica

A realidade aumentada é um artigo de ficção científica que finalmente temos a chance de ver no mundo real. E que já se converte em um mundo de possibilidades para novos modelos de negócios. É possível imaginar provadores virtuais, anúncios projetados no lugar em que estamos e novas formas de efetuar compras. E com artigos mais bem resolvidos: hoje, muitos produtos de realidade aumentada são grandes, pesados e com fio, mas isso está prestes a acabar.

Na última CES, a startup chinesa Nreal lançou elegantes óculos de realidade aumentada. Equipados com o processador Qualcomm Snapdragon 845, os óculos permitem que você faça as mais diversas coisas, de jogar videogame a ver filmes em uma tela de 1080p. Por sua vez, a multinacional americana Vuzix inaugurou uma versão menos sofisticada de seus óculos Blade. É excitante imaginar onde esse mix de tecnologia e estilo nos levará.

 

2. Logo, sua casa saberá seus sentimentos

Em breve, não apenas nossos amigos, familiares e bichos de estimação desempenharão o papel de saber como nos sentimos. Nossas próprias casas reconhecerão nossos sentimentos por meio da inteligência artificial. Essas informações vão compor um banco de dados em nível muito elevado a nosso respeito.

Na CES, a Panasonic apresentou um sistema de inteligência artificial com sensores que conferem sua postura, oferecem mapas de calor e pressão e até mesmo emitem odores para proporcionar relaxamento.

Se o fato de nossa casa nos entender melhor do que as pessoas que moram conosco pode causar certa estranheza, as massagens oferecidas pela IA podem mitigar qualquer desconfiança.

 

3. O blockchain vai rastrear o nosso prato

Ao ver uma comida descrita como “orgânica”, de “comércio justo” ou “livre de transgênicos”, pode ser que você se questione sobre a origem do produto — se ele é, de fato, aquilo que a embalagem diz. Antes, rastrear a cadeia de suprimentos era algo trabalhoso para as empresas, e mais ainda para os consumidores. Hoje, com o blockchain, é possível detectar a origem do alimento em questão de segundos.

SAIBA TAMBÉM: 10 maiores empregadores do mundo em tecnologia

A IBM é um grande player de tecnologia que está se unindo ao setor alimentício para desenvolver um sistema de blockchain para o fornecimento de comida. Seus resultados foram mostrados na CES 2019. No discurso de abertura da State of the Industry, a CEO da IBM, Ginni Rometty, apresentou o Walmart EVP, da Food Charles Redfield, para falar da evolução do blockchain nas cadeias de fornecimento de alimentos, tornando a alimentação mais segura e as cadeias de fornecimento, mais transparentes. Com a rede de blockchain da IBM Food Trust, os membros da cadeia de suprimentos e os consumidores podem acompanhar as etapas de produção dos alimentos, da colheita até a loja.

Segundo Redfield, que o processo de rastreamento da produção de mangas do Walmart antes era feito em uma semana, e agora, com o blockchain, pode ser realizado em 2,2 segundos. Com isso, caso haja um surto de segurança alimentar, a origem dos produtos poderia ser identificada com rapidez, eliminando com igual velocidade os alimentos contaminados do mercado. O blockchain promete segurança alimentar.

 

4. Carros voadores

Os carros voadores têm sido uma obsessão tecnológica há décadas. Um veículo voador para uso pessoal pode ainda não ter sido criado, mas o Bell Nexus, que pretende chegar aos céus até 2023, se aproxima dessa realidade. Ele conta com seis ventiladores gigantes que o mantêm no ar, com capacidade para quatro passageiros e um piloto. Pode estar longe de você substituir o carro que dorme na garagem por um Nexus, mas antes disso você poderá pegar um táxi aéreo da Uber’s Elevate, uma parceria entre o aplicativo e a Bell, a desenvolvedora do projeto Nexus. A ideia é que a tarifa seja similar à das viagens terrestres — portanto, acessível.

Na CES 2019, não se viu uma novidade exatamente revolucionária, mas foram apresentados muitos avanços em ideias que agora estão perto de se tornar realidade. Em alguns anos, você pode se sentar em uma limusine voadora, comer alguns petiscos analisados por blockchain e ler artigos em óculos de realidade aumentada, enquanto o assento, sensível às emoções humanas, o massageia durante a viagem.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Forbes no Facebook: http://fb.com/forbesbrasil
Forbes no Twitter: http://twitter.com/forbesbr
Forbes no Instagram: http://instagram.com/forbesbr

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).