Almoce com Warren Buffett por US$ 3,5 milhões

Getty Images
Leilão realizado pelo executivo tem o objetivo de arrecadar fundos para a Glide Foundation

Resumo:

  • O bilionário Warren Buffett está leiloando um almoço para apoiar a instituição de caridade Glide Foundation, em São Francisco;
  • Buffett realiza a ação anualmente e, em 2019, os lances já bateram o recorde e chegaram a US$ 3,5 milhões;
  • Fundada há mais de 50 anos, a Glide Foundation fornece apoio e defende indivíduos e famílias marginalizados em São Francisco.

Um almoço com Warren Buffett, investidor e 4ª pessoa mais rica do mundo, pode ser a refeição mais luxuosa e farta de todas, além de uma oportunidade de aprender sobre suas estratégias de negócio e obter conselhos de investimento. No entanto, nada disso é de graça. Pelo 20° ano consecutivo, o bilionário está leiloando sua participação em um almoço para apoiar uma de suas instituições de caridade favoritas, a Glide Foundation, de São Francisco. Neste ano, os lances já bateram o recorde: US$ 3,5 milhões.

LEIA MAIS: 9 citações mais inspiradoras de Warren Buffett

As ofertas, que serão encerradas amanhã (31), começaram no dia 26 de maio pelo eBay. Em apenas 48 horas, o preço do almoço privado com Buffett e sete amigos superou o maior lance já registrado – US$ 3,456 milhões em 2016. Desde sua criação em 2000, a iniciativa anual no restaurante Smith & Wollensky, no centro de Manhattan, em Nova York, já arrecadou mais de US$ 30 milhões para a Glide Foundation. “Estamos fazendo a diferença e mostrando que é possível ter esperança por dias melhores”, disse Buffett, em um pronunciamento sobre a arrecadação de fundos.

Fundada há mais de 50 anos, a Glide, cuja missão é romper o ciclo da pobreza em São Francisco, fornece ajuda e defende indivíduos e famílias marginalizados, incluindo os sem-teto, membros da comunidade LGBT e negros. Buffett acredita que a organização é a “mais eficaz para pessoas desfavorecidas”.

O preço do almoço valeu a pena para algumas das pessoas que já conseguiram participar dele. Ted Wechsler, por exemplo, pagou duas vezes pela oferta – US$ 2.626.311 em 2010 e US$ 2.626.411 em 2011 – e, posteriormente, conseguiu um cargo de gerente de investimentos na Berkshire Hathaway, tornando-se um dos representantes mais confiáveis de Buffett.

Buffett não é o único bilionário a dar apoio para enfrentar a crise dos sem-teto em São Francisco, situação considerada uma violação de direitos humanos pelas Nações Unidas em outubro do ano passado. No início deste mês, o fundador da Salesforce, Marc Benioff, e sua esposa, Lynne, doaram US$ 30 milhões para a realização de pesquisas na Universidade da Califórnia capazes de encontrar soluções para a falta de abrigo na região. Na eleição de 2018, Benioff apoiou a aprovação da Proposition C, proposta que cobra um imposto sobre grandes empresas locais para criar um fundo que ajude a resolver a crise. Muitos bilionários, incluindo Jack Dorsey, do Twitter, Michael Moritz, da Sequoia, e Patrick e John Collison, da Stripe, eram contra a proposta, citando a ameaça que isso poderia representar aos negócios e questionando a utilidade dos fundos.

Além de doar seu horário de almoço, Buffett, que foi cofundador do Giving Pledge, é um dos filantropos mais generosos do mundo. Ele prometeu doar 99% de sua fortuna e, somente em 2018, doou US$ 3,4 bilhões, boa parte destinada à Fundação Bill & Melinda Gates. Até hoje, o executivo já doou mais de US$ 35 bilhões.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).