Homens: da pele oleosa ao rejuvenescimento

Getty Images
Os homens apresentam um padrão de envelhecimento diferente do da mulher

A exemplo das mulheres, os homens têm buscado, cada vez mais, a orientação do dermatologista para cuidar da saúde da pele e melhorar sua aparência. Palmas para eles! Essa maior conscientização passa por idas mais frequentes ao consultório, pela busca de dermocosméticos próprios para eles e ainda por procedimentos estéticos para melhorar a textura, o viço e a qualidade geral da pele, além de tratar diversas condições e também rejuvenescer, por que não?

Mas quais são as principais queixas e os tratamentos mais indicados para eles?

A queixa mais frequente é a oleosidade excessiva. Isso acontece porque na pele masculina, devido à presença do hormônio testosterona, a produção de sebo é, em média, duas vezes maior do que nas mulheres, o que provoca a dilatação dos poros e o aparecimento de cravos e acne.

PELE OLEOSA

Existem diversos dermocosméticos que atuam na diminuição da produção de sebo e na microinflamação. A recomendação também para esses tipos de pele é usar sempre filtros solares e produtos cosméticos livres de óleo na composição e consultar um dermatologista para tratamento adequado. Os rapazes também podem (e devem) fazer limpezas de pele, microdermoabrasão e lasers, sempre sob a orientação de um especialista.

FOLICULITE DE BARBA

Outro problema recorrente entre os homens é a foliculite de barba, que acontece quando os pelos raspados começam a crescer e encurvam antes de atravessarem a pele, podendo causar uma infecção bacteriana. Surgem, então, aquelas bolinhas com pus ao redor do pelo, que coçam, inflamam e doem, incomodando bastante o paciente. O ideal é evitar loções de barba que tenham álcool na formulação e usar produtos específicos no pós-barba, com ativos calmantes e antissépticos. Nos casos mais graves, o dermatologista pode prescrever cremes antibióticos e corticoides, mas, muitas vezes, a solução é a depilação a laser – que, ao retirar definitivamente o pelo, reduz as chances de inflamação e encravamento. A técnica, normalmente, é feita na região do pescoço.

DERMATITES

A dermatite seborreica (caspa) costuma ser mais frequente no homem. Acomete o couro cabeludo e também a face. É uma condição inflamatória de causa desconhecida, que pode estar relacionada a quadros de estresse emocional. Em geral, é um quadro recorrente, mas que pode ser controlado com o diagnóstico correto e o tratamento adequado. Hoje dispomos de lasers para otimizar o tratamento.

ROSÁCEA

É outra doença inflamatória crônica. Pode ser causada por diversos fatores, como predisposição genética, alterações hormonais, estresse, ingestão de álcool ou pimenta, mudanças bruscas de temperatura, exposição solar e uso regular de determinados medicamentos vasodilatadores. Apesar de não ter cura, também pode ser controlada, desde que tratada adequadamente com produtos de uso tópico, antibióticos orais e procedimentos a laser em consultório, capazes de melhorar a qualidade geral da pele.

PAPADA

O excesso de gordura e/ou flacidez abaixo do queixo, a temida papada, também é uma queixa comum. Já existem diversos protocolos em consultório para melhorar o acúmulo de gordura na região, estimular a síntese de colágeno novo e recuperar a sustentação e a firmeza perdidas com o tempo. Entre as opções, destacam-se o ultrassom microfocado, a criolipólise, bioestimuladores de colágeno, lasers e microagulhamento robótico – técnicas que podem ser feitas de forma isolada ou associada, conforme avaliação médica.

REJUVENESCIMENTO

Os homens também podem se valer de protocolos para suavizar os sinais do tempo, mantendo as características naturais e a harmonia facial. A indicação do tratamento depende de cada caso, porém os homens, geralmente, preferem procedimentos pouco invasivos e que foquem a saúde da pele. Vale lembrar que eles apresentam um padrão de envelhecimento diferente do da mulher, e que devemos orientar os pacientes a sempre respeitar a orientação de que “menos é mais” a fim de alcançarmos resultados sutis e bem naturais.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).