4 fraudes cotidianas mais irritantes

Getty Images
Perfis desatualizados e propagandas enganosas são comuns na rotina

Resumo:

  • Não são só os crimes que atrapalham a rotina das pessoas, mas sim pequenas mentiras contadas nas redes sociais;
  • No LinkedIn, fotos antigas (com mais de dois anos) e exageros na formação profissional são, se descobertos, prejudiciais as imagens da pessoa;
  • É recomendável olhar a tabela nutricional dos produtos que se divulgam como sem açúcar.

No encalço do lançamento do livro de Michael ChasesHow to Be a Federal Criminal” (Como Ser um Criminoso Federal, em tradução livre), resolvi pensar em coisas que, apesar de não serem crimes, atrapalham a vida e são certamente enganosas. Além das letras miúdas dos comerciais e das “garantia do dinheiro de volta”, fico irritado com algumas violações que vejo todos dos dias. Não há nada mais que eu possa fazer além de chamar atenção para elas, já que não mudam nunca.

LEIA MAIS: 8 dicas para manter a calma em meio ao estresse diário

Rotineiramente, as pessoas são presas por deturpar informações, especialmente se se trata de uma investigação federal. No entanto, somos confrontados com fatos alternativos em nossas vidas diárias e alguns deles realmente causam a perda de tempo e dinheiro. Comecei a compilar minha lista e encorajaria você a fazer o mesmo.

Veja as maiores fraudes do dia a dia:

1 – Imagem do LinkedIn: Se sua foto no LinkedIn tiver mais de dois anos, será necessário atualizá-la (as minhas têm dois anos, portanto, esse é um alerta para mim mesmo). A reclamação é a mesma em sites de namoro, já que a foto não costuma ser igual quando as pessoas se encontram. Frequentemente tenho ido ao LinkedIn para ver a foto de uma pessoa antes de conhecê-la. Além de seu passado e interesse, estou olhando para a pessoa para que, quando eu a ver, eu possa pelo menos dar a impressão de que eu me lembro deles (eu conheci muitas pessoas ao longo dos anos). Se a foto está desatualizada, provavelmente é difícil esconder o choque de encontrar um estranho.

2 – Diploma de Treinamento Executivo: Colocar “Harvard” em seu currículo significa que você realmente foi para um curso de graduação ou pós-graduação, não um retiro de gerenciamento de uma semana. As escolas da Ivy League têm realizado seminários executivos que são excelentes programas, mas são enganosos. O mesmo vale para aqueles que afirmam que “frequentaram” uma determinada escola, sem declarar que não se formaram. A verdade é que as pessoas não devem julgar alguém pela escola que frequentaram.

3 – Zero Açúcar: Eu comecei a comer algumas frutas secas para compor meu café da manhã, acreditando que eles me fariam bem. A embalagem destaca “sem adição de açúcar”. Depois de eu acabar a refeição, eu conferi a tabela de valor nutricional e: 25 gramas de açúcar! Eu poderia ter comido uma barra de Hershey’s! O mesmo vale para os itens classificados como “sem glúten“, como Skittles.

4 – Livro entre os mais vendidos: Eu co-escrevi um livro com Neil Weinberg (da “Bloomberg”), mas não era um best seller. Nós vendemos muitos livros (cerca de 10 mil), mas não um milhão. Eu não posso te dizer quantos autores eu conheci que reivindicam o status de “melhor vendedor”, que realmente vendeu apenas algumas centenas de livros. Procure a lista “Best Seller do New York Times”, mas além disso, todo livro (que é um trabalho de amor) é um best seller.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).