Os perigos que podem vir depois do FaceApp, o app viral de edição de imagem

Getty Images
Problema pode estar na manipulação de imagens em nuvem, que será cada vez mais rápida

Resumo:

  • Já foi confirmado que as fotos alteradas pelo FaceApp, aplicativo que viralizou por “envelhecer” pessoas em fotos, são enviadas para servidores de nuvem nos Estados Unidos;
  • O FaceApp e outros aplicativos semelhantes enviam as fotos para servidores em nuvem, onde elas são editadas, e depois retornam para o aparelho;
  • Com as redes 5G, os processos de edição em nuvem serão ainda mais fáceis, tornando os smartphones apenas intermediários.

Relaxe, o FaceApp, o aplicativo de edição de fotos que viralizou recentemente, não faz upload de sua biblioteca de fotos. Ele só mantém a imagem escolhida para ser usada no app, principalmente em servidores nos Estados Unidos e a maioria é excluída após 48 horas. Ah, e a possibilidade de que seu rosto faça parte de um banco de dados russo para reconhecimento facial é pequena.

LEIA MAIS: App de envelhecer que virou febre é um perigo para a sua privacidade? 

Mas a lição mais importante a ser aprendida, eu acho, é que o futuro pode ser muito mais problemático do que o FaceApp.

O advento do 5G, o padrão ultrarrápido de comunicação móvel, está no centro disso. Em todo o mundo, redes 5G estão sendo lançadas. O Reino Unido, por exemplo, já tem dois provedores, EE e Vodafone, com transceptores 5G ao vivo.

O FaceApp e outros aplicativos semelhantes sabem que nem os smartphones mais poderosos têm a tecnologia necessária para a manipulação de imagens. Ou se eles forem fortes o suficiente, os fabricantes de telefone não fornecem a potência para que esses efeitos funcionem no próprio dispositivo.

Assim, o FaceApp e outros enviam seus dados de imagem para a nuvem, para usar os servidores remotos superpoderosos, e, em seguida, fazem o download deles rapidamente para o telefone. Os telefones 5G não só conseguirão fazer isso com mais rapidez, como também tornarão o processador do telefone menos importante, até mesmo irrelevante.

Nos próximos meses e anos, à medida que os modems 5G chegam a aparelhos muito mais acessíveis, aplicativos que são muito mais capazes do que o FaceApp poderão oferecer efeitos avançados com mais facilidade. Todo o trabalho pesado será feito em um servidor, o telefone pode apenas um terminal, desde que tenha essa conexão rápida 5G.

Esta tendência já começou. Recentemente, a Nokia desenvolveu telefones com recursos, como a versão recriada do clássico Nokia 8110, agora chamado de Nokia 8110 4G. Ao adicionar um chip 4G, a Nokia conseguiu colocar o Google Assistente no aparelho, acrescentando um nível de funcionalidade de voz incomum em um telefone com recursos.

O benefício é que serão feitas coisas muito mais sofisticadas, que até agora não conseguimos imaginar graças à conexão rápida.

A desvantagem é que podemos ter de aceitar mais desses termos de licença como o FaceApp e concordar com o fato de que nossos valiosos dados privados estão sendo varridos para a nuvem e podem ficar parados por lá algum tempo.

O FaceApp pode ter acabado sendo inofensivo, mas os aplicativos futuros têm tudo para serem muito mais problemáticos.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).