Saiba tudo sobre a nova atualização do iPadOS

Divulgação/Apple BR
Modificação do software deixará o dispositivo mais parecido com um computador

Resumo:

  • O USB-C será mais aproveitado, agora com a função de armazenamento reconhecida pelo iPad;
  • Os aplicativos serão exibidos em ícones menores e orientados em colunas;
  • O iPadOS tornará os tablets semelhantes aos PCs, exibindo os sites em versão desktop e permitindo a conexão de mouse e teclado.

Eu tenho uma relação de amor e ódio com o iPad Pro. Eu o uso como minha principal máquina de trabalho, em parte porque é portátil e mais poderoso que a maioria dos laptops no mercado, e também tem a melhor caneta em um dispositivo comercial. Mas a principal razão é porque tem acesso exclusivo ao LumaFusion, o melhor software de edição de vídeo de nível intermediário. O Final Cut Pro é um pouco avançado demais para as minhas habilidades, e o software de edição de vídeo para PC, como o PowerDirector, simplesmente não é tão intuitivo quanto o LumaFusion.

LEIA MAIS: Apple ganha duas novas patentes radicais para câmeras

Usar o iPad Pro como minha principal máquina de trabalho, porém, exigiu comprometimento, porque a Apple tinha neutralizado o poder e o potencial do dispositivo com o software móvel limitado e uma insistência em fazer as coisas do jeito da Apple.

Por exemplo, o iPad Pro 2018 usa USB-C, que transfere energia e dados em alta velocidade, mas o software da Apple praticamente eliminou o último, já que a porta USB-C do iPad Pro não possui armazenamento. Há também um sistema de arquivamento muito limitado que força os usuários a salvarem arquivos apenas em aplicativos que suportam armazenamento local.

Essas restrições criaram alguns obstáculos para enfrentar diariamente. Para mover vídeos gravados com minha câmera sem espelho da Sony para um iPad, primeiro preciso transferir os vídeos para um iPhone (o iPad não suporta leitores externos de cartão, mas, de alguma forma, o iPhone, sim) e depois movê-los para o iPad via AirDrop. Quando eu preciso baixar imagens oficiais da imprensa de um site da empresa, não posso simplesmente clicar no link de download e salvar as imagens no meu armazenamento local, eu tenho que usar um aplicativo de terceiros para abrir as fotos e salvá-las no galeria de fotos do iPad, um por um.

O fato de ter aceitado de bom grado todas essas dificuldades, apesar das opções alternativas de computação, é talvez o melhor elogio que posso dar ao tablet e ao LumaFusion. Afinal, eu nem sou um seguidor da Apple. Meu telefone é geralmente um Android, e eu prefiro os serviços digitais do Google sobre os colegas da empresa. Mas o hardware do iPad Pro é tão bom que estou disposto a aturar seu software draconiano.

Mas a mudança está chegando! Na conferência de desenvolvedores deste mês, a Apple anunciou novos softwares para todos os seus produtos e, enquanto o iPhone e os Macs receberão atualizações bacanas de software a partir de setembro. As mudanças mais importantes e inovadoras acontecerão nos iPads.

Eu tenho testado uma versão beta do iPadOS nos últimos dias, e a maioria das melhorias prometidas pela Apple já são úteis no software beta. Eles estão com alguns bugs agora – fato comum aos software beta – mas, quando estiverem prontos para o consumidor, os iPads, especialmente o Pro 2018, serão significativamente mais competentes.

VEJA MAIS: Atualização radical do iPhone vaza “acidentalmente”

É possível que eu finalmente consiga remover a parte do “ódio” do meu relacionamento de amor e ódio com os produto da Apple.

Entrada USB-C

Com o iPadOS, o iPad Pro 2018 finalmente permite o suporte de armazenamento externo do USB-C. Sejam discos rígidos portáteis, pen drives USB-C ou leitores de cartões, o iPadOS reconhecerá o armazenamento. Na minha versão beta do iPadOS, ele está se conectando à unidade externa muito bem, mas ainda não consegue pegar vídeos gravados pela minha câmera Sony através do leitor de cartão. Mas isso deve ser corrigido quando o software final for lançado ao público, segundo um representante da Apple me confirmou. Na verdade, o LumaFusion permitirá que os usuários editem imagens de um dispositivo de armazenamento externo, sem precisar primeiro mover os arquivos para o iPad.

Isso irá poupar cerca de 20 a 30 minutos de transferência tediosa de arquivos daqui para frente.

Um verdadeiro sistema de arquivos

O iPadOS também melhora o aplicativo de arquivos, para torná-lo mais parecido com um sistema de arquivos real usado em computadores. Existe agora uma opção para mostrar arquivos em visualizações de colunas e, pela primeira vez em um dispositivo Apple, a capacidade de baixar arquivos diretamente no dispositivo e armazená-los em uma pasta de escolha.

Multitarefa ainda melhor

A Apple tem alegado que o iPad pode ser um substituto de laptop desde 2016, uma afirmação que eu critiquei devido à falta de multitarefa real do tablet. Mas em 2017, a Apple ofereceu multitarefa de tela dividida que melhorou drasticamente a usabilidade do iPad Pro.

O iPadOS melhora isso ainda mais. Atualmente, os iPads podem ter dois aplicativos na tela ao mesmo tempo e um terço se desloca para o lado em um recurso chamado “Slide Over”. Agora, o Slide Over pode abrigar mais de um aplicativo, na verdade, na minha demo, posso obter até seis ou sete aplicativos em execução antes que a máquina comece a travar.

É possível também abrir duas abas de um mesmo aplicativo, por exemplo, duas páginas do Google Docs, algo que também me incomodou no passado.

Mais informação na tela

As telas iniciais dos iPads sempre foram estranhas, porque usavam basicamente o mesmo layout e interface projetada para um smartphone. O iPadOS aborda isso dando ao iPad uma grade mais estreita e ícones menores. Isso permite que mais informações sejam exibidas na tela grande do iPad – como um computador – incluindo a capacidade de armazenar widgets na tela inicial.

Pode parecer uma pequena mudança, mas visualmente, faz com que o iPad Pro seja mais autêntico, não um iPhone gigante.

Navegação como de desktop; suporte do mouse

Mais duas pequenas atualizações que empurram ainda mais o iPad para o território do computador: o navegador Safari do iPadOS abrirá versões desktop de sites, em vez de versões móveis que parecem desajeitadas em uma grande tela do iPad.

Os benefícios vão além da estética. Versões móveis do Google Docs e o YouTube, por exemplo, omitem recursos cruciais (no YouTube, você só pode programar um horário de publicação pelo computador). Isso não deve mais ser um problema no iPadOS.

O iPad finalmente recebe suporte do mouse. Basta entrar nas configurações, fazer alguns ajustes e o iPad não será mais uma apenas um dispositivo com tela sensível ao toque.

Combine o mouse com um teclado adequado – o case de teclado da Apple é excelente – e o iPad Pro com iPadOS será finalmente o que a Apple vem reivindicando há três anos: um computador totalmente capaz.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook

Twitter

Instagram

YouTube

Baixe o app de Forbes Brasil na Play Store e na App Store

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).