Facebook enfrenta investigação antitruste nos EUA

Análise avalia se rede social prejudicou a concorrência e colocou os usuários em risco.

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Dado Ruvic/Reuters
Dado Ruvic/Reuters

Procuradora-geral de Nova York investiga se o Facebook prejudicou a concorrência e colocou os usuários em risco

Acessibilidade


Uma coalizão bipartidária liderada pela procuradora-geral do Estado de Nova York, Letitia James, está iniciando uma investigação antitruste contra o Facebook para investigar se ele prejudicou a concorrência e colocou os usuários em risco, disse a procuradora-geral hoje (6).

LEIA MAIS: Facebook lança serviço de relacionamento nos EUA

“Estou iniciando uma investigação no Facebook para determinar se suas ações colocaram em risco os dados do consumidor, reduziram a qualidade das escolhas dos consumidores ou aumentaram o preço da publicidade”, disse James no Twitter.

Procuradores-gerais do Colorado, Flórida, Iowa, Nebraska, Carolina do Norte, Ohio, Tennessee e Distrito de Columbia se juntarão a Nova York na investigação, informou um comunicado.

A empresa não respondeu imediatamente a um pedido de entrevista.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

As gigantes da tecnologia, entre as empresas mais ricas e poderosas do mundo, estão enfrentando crescente escrutínio antitruste do Congresso, agências federais e agora procuradores gerais do estado.

A Reuters e outros meios de comunicação informaram na terça-feira (3) que mais de 30 procuradores-gerais dos Estados Unidos estavam preparando uma investigação sobre o Google por possíveis violações antitruste.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: