BC da Argentina reduz limite de compra a US$ 200 por mês

Objetivo da medida é evitar que as reservas internacionais continuem caindo

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Alfonse Pagano/Getty Images
Alfonse Pagano/Getty Images

Banco Central ajustou de forma dramática os controles cambiais até dezembro

Acessibilidade


O banco central da Argentina afirmou na madrugada de hoje (28) que determinou um limite de compra de US$ 200 por mês através de contas bancárias e de US$ 100 por mês para a aquisição em dinheiro, em uma tentativa de evitar que suas reservas internacionais continuem caindo.

LEIA MAIS: FMI analisa medida da Argentina para estender prazos

Após a derrota sofrida ontem (27) pelo presidente Mauricio Macri nas eleições em que buscava a reeleição, o banco central ajustou de forma dramática os controles cambiais, até dezembro, ante o limite anterior de US$ 10 mil por mês que vigorava até então para lidar com a crise financeira.

“Diante do grau de incerteza atual, a diretoria do banco central decidiu tomar neste domingo uma série de medidas que buscam preservar as reservas do banco central”, disse a autoridade monetária em comunicado.

A medida foi apresentada horas depois de divulgado o triunfo do peronista Alberto Fernández, da oposição, nas eleições presidenciais.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

VEJA TAMBÉM: Moody’s muda perspectiva de rating da Argentina de estável para negativa

A incerteza política havia começado após as primárias de agosto, quando uma arrasadora vitória de Fernández gerou forte queda do peso, o que forçou o governo a limitar o acesso a dólares.

Apesar dos controles, na última semana a autoridade monetária teve que liberar US$ 1,6 bilhão de suas reservas para conter a queda do peso.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: