Gilles Coccoli: Edenred quer ir além da Ticket Restaurante e lucrar com inovação

Divulgação
Empresa deseja que projetos em áreas como serviços de saúde representem 15% da receita nos próximos 2 anos

Gilles Coccoli está animado com as possibilidades para os próximos dois anos. O executivo francês à frente das operações para o Brasil e Américas da Edenred, mais conhecida por seu produto Ticket Restaurante, planeja explorar novos mercados com a ajuda de inovação tecnológica.

Segundo o executivo, a Next Frontier, estratégia da empresa de soluções transacionais até 2022, envolverá turbinar os esforços em inovação empreendidos até aqui e ampliar o leque de ofertas: “Em dois anos, a Ticket ainda será uma parte muito representativa do nosso negócio, mas seremos uma empresa totalmente diferente”, aponta.

Coccoli diz esperar que, ao longo do novo plano, novos negócios gerados por iniciativas de inovação representarão 15% da receita no Brasil: “É um valor alto, mas as coisas estão progredindo de uma forma rápida e estamos jogando esse jogo razoavelmente bem, ou seja: estamos participando de diversos jogos, pois ainda não sabemos ao certo o que realmente dará certo”.

No lado do mercado, isso inclui uma entrada no segmento de saúde: “Estamos vendo como podemos aproveitar esse momento de ruptura do setor de saúde no Brasil”, aponta.

A ideia, segundo Coccoli, é endereçar os diversos “pain points”, ou seja, desafios na saúde brasileira, que vão desde custo até atendimento, com soluções tecnológicas.

“As opções do mercado [de saúde] não muito adequadas, ou são muito caras. Por outro lado, há uma parte grande da população que não tem uma solução adequada fora o SUS”, diz. “Queremos entrar nesse mundo e ser um provedor de soluções de saúde para as empresas.”

A futura solução, que será baseada em um aplicativo e está em fase piloto com a Vale Saúde, visa segmentar serviços de saúde e resolver problemas de empresas que lidam com complexidades como alta rotatividade.

“As empresas enfrentam o problema do que oferecer [aos funcionários] no primeiro dia, pois dar um plano de saúde logo de cara, e a pessoa ficar só 3 meses, é complicado”, explica. “A ideia é dar algo que não o plano completo, mas que seja alguma coisa.”

***

Coccoli também aposta em inovação nos bastidores e quer usar inteligência artificial e análise avançada de dados para, por exemplo, transformar as informações que coleta por meio do uso do Ticket Restaurante em ofertas comerciais.

“Temos muitos dados ligados ao comportamento dos usuários no aspecto alimentação, que têm valor no mercado, e queremos monetizar de alguma forma”, aponta, referindo-se a dados como tendências de alimentação e padrões de negócio em diversas regiões, que o executivo diz terem “muita relevância para muita gente”.

Há outras oportunidades relacionadas a dados em outras áreas do negócio, como na área de gestão de frota e soluções de mobilidade. Por exemplo, Coccoli tem um plano para usar machine learning para gerar insights sobre públicos como caminhoneiros independentes que operam nos negócios de gerenciamento de frotas da Edenred, que informarão decisões de crédito que vão além da análise tradicional.

“Se uma empresa se basear no Serasa, no patrimônio líquido que está na conta bancária [do consumidor], não dará crédito para ninguém”, aponta. “Precisamos ir além, com insights ligados ao comportamento [do motorista] ou à característica da frota que, agregada à alguma informação adicional, torna-se um ativo da empresa.”

***

Raio-X: Gilles Coccoli

“Acordo às 6 da manhã para correr no Ibirapuera, enquanto escuto podcasts de história. Acho valioso poder ouvir sobre os grandes acontecimentos do passado, para poder entender ciclos e construir visões do futuro. Sou filho de expatriados e vivi nos Estados Unidos, Turquia, Inglaterra e França, então, desenvolver esse interesse foi algo natural”, conta.

“Minha formação [em Ciência da Computação, pelo Instituto Politécnico Rensselaer, de Nova York] teve um elemento de inteligência artificial, então, estou próximo da evolução da inovação há tempos. Mas também tive diversas experiências em várias outras áreas de negócio, como finanças e operações. Esse perfil multifuncional e minha propensão a opinar sobre tudo fizeram com que eu aceitasse as diversas oportunidades que me propunham e, assim, fui evoluindo na empresa.”

“Para conduzir a Edenred do ponto A ao ponto B em nossa estratégia, busco sair dos trilhos. Como líder, o objetivo é encontrar diversas opções no meio do caminho que possam nos ajudar a expandir nossa visão e possibilidades de negócio.”

“Tenho tentado trazer essa forma de pensar para a cultura da empresa. À medida em que tecnologias evoluem, e novos modelos de negócio emergem, ser proativamente interessado é um ponto-chave. Em um cenário de mudança, uma vez que você sabe o que não sabe, é preciso buscar preencher as lacunas, ser conscientemente competente.”

***

A Unisys realiza entre os dias 30 de outubro e 2 de novembro, em Cusco, no Peru, a 14ª edição da Unisys Innovation Forum. Direcionado a clientes e parceiros na América Latina, o evento discutirá a inovação e a transformação digital, com o keynote de Luis Rasquilha, futurista e CEO da Inova Consulting/Inova Business School, além de palestras com líderes de tecnologia e negócios de empresas como Avianca, Raízen, Serasa Experian, Hershey’s e outras.

***

A escola de samba paulistana Rosas de Ouro vai levar o avanço da inovação e a humanização da tecnologia para a avenida no ano que vem. O enredo “Tempos Modernos” abordará temas como a Indústria 4.0, Internet das Coisas e Realidade Aumentada. Como parte do projeto para o Carnaval 2020, a escola fechou uma parceria com o Centro Universitário FEI, que atuará no desenvolvimento de um dos carros alegóricos, incluindo a instalação elétrica. Para a universidade, esta é uma “oportunidade única” para que os alunos apliquem os conhecimentos adquiridos em sala de aula em um ambiente completamente diferente.

***

A Fliper, plataforma de consolidação automatizada de investimentos, fechou uma rodada de R$ 4 milhões, com com um grupo de investidores que incluiu a  gestora Perfine e a empresa de tecnologia Certsys. Investidores de rodadas anteriores incluem Bruno Freitas Valle e Rafael Quintas, ex-sócios da XP Investimentos. A startup tem uma base de 40 mil usuários ativos, R$ 4 bilhões em patrimônio mapeado e conexão automática com mais de 40 mil contas de investimentos.

***


Angelica Mari é jornalista especializada em inovação há 18 anos, com uma década de experiência em redações no Reino Unido e Estados Unidos. Colabora em inglês e português para publicações incluindo a FORBES (Estados Unidos e Brasil), BBC, The Guardian e outros.

 

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).