Bernard Tyson, referência no setor privado norte-americano de saúde, morre aos 60 anos

Reprodução Forbes
CEO da Kaiser Permanente era uma personalidade atuante no segmento norte-americano de saúde

Bernard Tyson, CEO e presidente do conselho da Kaiser Permanente, consórcio norte-americano de cuidados com a saúde que administra 38 hospitais e mais de 650 clínicas e consultórios, morreu inesperadamente ontem (10), aos 60 anos.

A notícia foi seguida imediatamente por uma avalanche de lamentos e condolências, já que Tyson era considerado um dos nomes mais expressivos do segmento de healthcare nos Estados Unidos. Sob sua gestão – 30 anos no total, cinco deles como presidente –, a companhia atingiu 12,3 milhões de segurados, 218 mil funcionários e receita anual de US$ 82,8 bilhões.

Mais do que trabalhar pelos números, o executivo fez com que a Kaiser fosse uma das protagonistas na transformação do impacto dos sistemas de saúde na vida da população norte-americana. Historicamente, a atuação dos agentes do setor no país se concentra nos cuidados hospitalares e nos doentes, afinal, há muito mais dinheiro envolvido na solução de um problema do que em sua prevenção.

Sob a liderança de Tyson, a companhia tomou iniciativas importantes para expandir o papel dos cuidados de saúde para além dos muros das clínicas e hospitais. O executivo comandou, por exemplo, ações para lidar com a obesidade e com a falta de moradia adequada nas comunidades vizinhas às instalações da Kaiser. Também fechou uma parceria inédita com a NBA, a liga de basquete, em prol da saúde infantil e se comprometeu a se transformar em uma empresa neutra em emissão de carbono até 2020.

Em uma entrevista concedida à FORBES norte-americana no começo do ano, Tyson falou abertamente como estava conduzindo a empresa de uma posição reativa para uma abordagem proativa no que diz respeito aos determinantes sociais da saúde, como melhoria da infraestrutura básica, alimentação saudável e prática de exercícios. “Os cuidados com a saúde não envolvem apenas os tratamentos”, disse. Ele também abordou um assunto cada vez mais em pauta quando o assunto é saúde e bem-estar: a mente. “Estamos extremamente focados na saúde mental.” Tyson também não se esquivou de falar sobre como raça, etnia e gênero afetam a assistência médica e tinha um grande interesse em reduzir as disparidades no nível de atendimento. “O fato de alguém não estar recebendo o que deveria estar recebendo por causa da cor da pele ou da orientação sexual é inaceitável.”

O conselho de administração da Kaiser nomeou o vice-presidente executivo Gregory A. Adams para assumir o lugar de Tyson em caráter provisório.

****

Por mais pontos

Desde ontem (10), os pontos acumulados no Átomos, programa de recompensa do C6 Bank, podem ser creditados na conta Smiles. Para isso, o cliente precisa ter, no mínimo, 1 mil pontos, e fazer a transferência pelo app do banco. Cada 1 Carbon vale 1 milha Smiles. “A nova parceria reafirma o nosso foco, que é trabalhar para oferecer a melhor experiência aos clientes, ampliando as formas de acúmulo e resgate e as oportunidades de viagens”, diz Mirelly Gama, diretora de bancos e varejo da Smiles.

****

Snoop Dogg promove sanduíche vegano

Snoop Dogg surpreendeu os clientes de uma loja da Dunkin’ Donuts em Los Angeles ao servir o novo sanduíche da rede no café da manhã. Batizado de Beyond Sausage Sandwich, a novidade é preparada com salsicha vegana e a ação fez parte do lançamento. Segundo a empresa, o rapper é um dos maiores fãs da Beyond Meat, responsável pela iguaria, e por isso foi convocado para ser o “funcionário do dia”. Snoop Dogg atendeu clientes tanto no balcão da loja, quanto no sistema de drive-thru. O sanduíche, que estava previsto para entrar oficialmente no cardápio da rede só em 2020, foi antecipado para o dia 6 de novembro depois de um bem-sucedido piloto em Manhattan, Nova York.

****

Pelas crianças da Nigéria

Femi Otedola (à direita na foto), magnata nigeriano do setor de energia, doou US$ 14 milhões ao Save the Children Fund para apoiar programas de intervenção destinados às crianças carentes do nordeste da Nigéria, região severamente afetada por conflitos armados entre o governo e civis. Ao que tudo indica, esta é a maior doação individual para instituições do país. A iniciativa se deu por meio da Cuppy Foundation, organização sem fins lucrativos da filha de Otedola, Florence, mais conhecida como DJ Cuppy. A instituição trabalha para melhorar o bem-estar de crianças vulneráveis e marginalizadas do país africano, concentrando-se na educação e saúde na primeira infância. Aliko Dangote (à esquerda na foto), o homem mais rico da África e o 189º do mundo, com um patrimônio de US$ 8,8 bilhões, participou da cerimônia e anunciou US$ 275 mil para a causa.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).