Dólar tem maior alta em 2 meses

Clima de aversão ao risco nos mercados com coronavírus pressionou cotação da moeda norte-americana frente a outras divisas .

Daily Forbes, por Luciene Miranda
Compartilhe esta publicação:
Yuriko Nakao - REUTERS
Yuriko Nakao - REUTERS

Dólar tem maior cotação em dois meses com temores sobre o coronavírus

Acessibilidade


O medo que paira sobre os mercados globais teve também forte impacto no câmbio hoje (27), num movimento já esperado pelos investidores, uma vez que o dólar é ativo considerado “seguro” em situações de crise global.

Na China, o coronavírus já matou mais de 80 pessoas. Lá, mais de 900 estão infectadas. Há casos de contágio em diferentes continentes. Nos Estados Unidos, há 110 casos suspeitos em 26 estados.

LEIA TAMBÉM: Ibovespa amplia queda com coronavírus

Segundo fontes, a alta do dólar só não foi maior porque há muita liquidez (capital) em circulação no mundo e isso torna a migração de recursos de um ativo para outro menos atraente. Mesmo assim, aqui no Brasil, a moeda norte-americana teve, hoje, a cotação máxima das últimas oito semanas.

O dólar fechou com alta de 0,59% a R$ 4,210 em relação ao real para a venda. A variação foi semelhante frente ao peso mexicano, moeda que é, atualmente, a maior concorrente do real nas transações do mercado de Forex, de acordo com operadores de câmbio.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Este ano, a moeda norte-americana já teve valorização perto de 5% e, nos últimos 12 meses, a alta na comparação com o real se aproxima de 13%.

****

Luciene Miranda é jornalista especializada em Economia, Finanças e Negócios com coberturas independentes na B3, NYSE, Nasdaq e CBOT

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: