Ibovespa cai com cautela externa

Reprodução/Forbes
Às 10h30, horário de Brasília, o Ibovespa caía 0,22% aos 117.094 pontos

O índice Bovespa mantém queda desde a abertura dos negócios de hoje (14), acompanhando a cautela dos investidores no exterior, enquanto acompanham a divulgação de dados econômicos e balanços corporativos. Às 10h30, horário de Brasília, o Ibovespa caía 0,22% aos 117.094 pontos.

As maiores altas eram da Marfrig (MRFG3), com valorização de 2.99% a R$ 11,38, B2W (BTOW3) com avanço de 2,93% a R$ 71,20, Via Varejo (VVAR3) com ganhos de 2,36% a R$ 13,00 e Lojas Americanas (LAME4) que subia 1,89% a R$ 27,50.

VEJA MAIS: Ibovespa sobe com proximidade de acordo EUA-China

Estes ganhos refletem a leitura do mercado sobre os dados do setor de Serviços divulgados pelo IBGE, Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, referentes a novembro do ano passado. A variação anual foi de 1,8% e o dado trimestral, que abrange os meses de setembro, outubro e novembro, veio com alta de 2,17%, o melhor resultado desde agosto de 2018.

As principais baixas do Ibovespa eram da Notre Dame (GNDI3) com queda de 1.39% a R$ 68,99 e do Bradesco (BBDC3) com recuo de 1,21% a R$ 32,65.

O dólar segue em alta desde ontem em relação ao real e subia 0,43% a R$ 4,16.

Nos EUA, o JPMorgan Chase & Co, maior banco daquele país, que divulgou seus números do quarto trimestre do ano passado, com um lucro líquido de US$ 8,52 bilhões, US$ 2,57 por ação, 21% maior que no mesmo período de 2018, quando registrou lucro líquido de US$ 7,07 bilhões e US$ 1,98 por ação.

***

Luciene Miranda é jornalista especializada em Economia, Finanças e Negócios com coberturas independentes na B3, NYSE, Nasdaq e CBOT.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).