Dólar supera R$ 4,43 e renova máxima histórica

iStock
iStock

Às 14:01, o dólar avançava 0,98%, a R$ 4,4362 na venda

O dólar, que abriu em forte alta contra o real no pós-Carnaval, superou outra máxima histórica no começou da tarde de hoje (26), passando de R$ 4,43. A valorização vem mesmo após o Banco Central anunciar dois leilões de swap tradicional extraordinários, em meio a temores dos investidores sobre a rápida disseminação do coronavírus. O Brasil confirmou hoje seu primeiro caso de contágio da doença.

Por todo o globo, o crescente número de casos da doença deixava os mercados nervosos, principalmente com aumento de casos fora da China, onde surgiu o vírus. Até esta sessão, o número de mortos na Itália havia ultrapassado 19 e novos casos na Coreia do Sul foram acima de 1.260, enquanto a Grécia e o Brasil registraram seus primeiros infectados.

LEIA MAIS: Dólar abre acima de R$ 4,41 apesar de BC anunciar leilão

O ministro da Saúde brasileiro, Luiz Henrique Mandetta, confirmou hoje (26) o primeiro caso de infecção em São Paulo, de um homem de 61 anos que esteve na Itália.

Às 14:01, o dólar avançava 0,98%, a R$ 4,4362 na venda, enquanto o contrato mais líquido de dólar futuro subia 0,99%, a R$ 4,4350, impulsionado pela aversão a risco nos mercados de câmbio.

Na máxima do dia, o dólar interbancário tocou R$ 4,4360, nova máxima recorde intradiária.

“O Brasil é só mais um (país com caso confirmado)”, disse Alvaro Bandeira, economista-chefe do banco digital Modalmais. “Nesse final de semana do Carnaval teve um alastramento grande do vírus. Era razoavelmente esperado que essa alta do dólar pudesse acontecer”, completou, citando baixa liquidez devido à Quarta-feira de Cinzas.

O movimento de força da moeda norte-americana seguia a tendência internacional, com o dólar ganhando ante 21 de seus 33 principais pares. Moedas arriscadas, como dólar australiano, peso argentino e peso mexicano registravam as quedas mais acentuadas, com o real liderando as perdas.

Em tentativa de limitar o impacto da aversão a risco sobre o mercado local, o Banco Central do Brasil anunciou hoje, antes da abertura, leilão de até 10 mil contratos de swap tradicional com vencimento em agosto, outubro e dezembro de 2020, em que vendeu todos os contratos.

VEJA TAMBÉM: Dólar fecha estável em dia de volatilidade

A autarquia também ofertará amanhã (27), entre 9h30 e 9h40, até 20 mil contratos de swap tradicional com vencimento em agosto, outubro e dezembro deste ano.

Segundo a Commcor DTVM, esses leilões extraordinários são “sinalização de vigilância àqueles que tendem a se aproveitar do cenário para elevar a cotação da divisa norte-americana por aqui”.

Bandeira, do Modalmais, disse que o comportamento do dólar daqui para frente dependerá de possíveis novas atuações do BC.

Na última sessão, na sexta-feira antes do Carnaval (21), o dólar interbancário teve variação positiva de 0,04%, a R$ 4,3932 na venda, mas chegou a bater a máxima recorde de R$ 4,4073 na máxima do pregão.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).