McLaren desiste do GP da Austrália depois de funcionário ser diagnosticado com coronavírus

Corrida será disputada no circuito de Albert Park, em Melbourne, neste final de semana

Redação, com Reuters
Compartilhe esta publicação:
Kim Hong-Ji/Reuters
Kim Hong-Ji/Reuters

Funcionário da McLaren foi diagnosticado com coronavírus e equipe não vai disputar o GP da Austrália

Acessibilidade


A equipe McLaren desistiu de disputar o Grande Prêmio da Austrália, em Melbourne, que inaugura a temporada de Fórmula 1 neste fim de semana porque um funcionário foi diagnosticado com coronavírus, informou a escuderia hoje (12).

O exame positivo na McLaren veio depois de quatro membros da equipe Haas serem postos em quarentena por causa do surto.

LEIA MAIS: Tudo sobre o coronavírus

“O membro da equipe foi examinado e se isolou assim que começou a exibir sintomas, e agora será tratado pelas autoridades de saúde locais”, disse a McLaren em um comunicado.

“A equipe se preparou para esta eventualidade e oferece apoio constante a seu empregado, que agora entrará em um período de quarentena. A equipe está cooperando com as autoridades locais relevantes para auxiliar suas investigações e análises”.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Tanto a Haas quanto a McLaren têm sede no Reino Unido.

O campeão mundial de F1, Lewis Hamilton, disse ser “chocante” que o GP da Austrália possa acontecer em meio à ameaça do coronavírus, e insinuou que os organizadores colocaram suas preocupações financeiras acima da saúde das pessoas.

Milhares de torcedores foram ao circuito de Albert Park hoje, quando o final de semana de corrida começou com aquecimentos e treinos qualificatórios para categorias inferiores.

O GP da China, que estava marcado para abril, foi adiado, e o Barein, a segunda parada do calendário da F1, proibiu a presença do público na corrida de 22 de março.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: