Brasil tem 1.057 mortes por Covid-19 e casos chegam a 19.638, diz ministério

NurPhoto/Getty Images
NurPhoto/Getty Images

Número de mortes anunciado hoje confirma tendência verificada desde terça-feira (7) de mais de 100 óbitos registrados por dia

O Ministério da Saúde informou hoje (10) que o número de casos confirmados do novo coronavírus no país subiu para 19.638 e que o número de mortos atingiu 1.057.

O número de mortos atribuído pelo ministério ao vírus cresceu em 116 hoje em relação ao informado na véspera, confirmando tendência verificada desde terça-feira (7) de mais de 100 óbitos registrados por dia. O número de novas infecções confirmadas subiram em 1.781, abaixo das 1.930 de ontem (9) e das 2.210 de quarta-feira (8).

LEIA MAIS: Especialista dos EUA diz que “não é hora de recuar” na luta contra o coronavírus

Até ontem, o Brasil havia realizado quase 63 mil testes de detecção do novo coronavírus e tinha cerca de 127 mil casos pendentes de verificação, segundo dados do ministério, que rebateu críticas ao procedimento de testagem e disse que o trabalho é satisfatório na comparação com os demais países.

O ministério informou na ocasião que o Brasil já tinha recebido até ontem 905 mil testes entre rápidos e os de RT-PCR, de um total esperado de mais de 9 milhões a serem entregues até julho. No total, a meta do ministério é obter 22,9 milhões de testes.

Segundo o boletim de hoje, São Paulo segue sendo o Estado com maior número de casos confirmados e mortos no país: 8.216 e 540, respectivamente. Em seguida, o Rio de Janeiro aparece com 2.464 casos e 147 mortos. O Ceará é o terceiro Estado mais afetados, com 1.478 infecções confirmadas e 58 mortos. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).