Conheça 28 iniciativas que, por meio da tecnologia, estão ajudando a população mais vulnerável e a área da saúde

Getty Images
Getty Images

A arrecadação online permite construir uma ampla rede de colaboração que vai além dos círculos sociais e gera um impacto muito maior

Não é novidade que a pandemia de Covid-19 tem gerado diversos desafios à sociedade, seja por conta das graves questões de saúde ou pelas consequências econômicas do isolamento social. Embora a medida de distanciamento seja necessária para conter a disseminação do novo coronavírus e os integrantes das classes média e alta brasileiras encontrem menos limitações em segui-la, a realidade para os moradores de comunidades carentes ou das ruas é muito diferente. Para reduzir os danos causados a esse grupo mais vulnerável, diversas empresas lançaram mão da tecnologia para arrecadar, de forma online, recursos que contribuam com a causa, uma vez que o método permite construir uma ampla rede de colaboração que vai além dos círculos sociais e gera um impacto muito maior.

Rui Ramos, cofundador e CEO da eSolidar, startup portuguesa de causa social que oferece às instituições de caridade ferramentas fáceis para captar recursos e aumentar a visibilidade, acredita que, devido à superlotação e à falta de condições para seguir as recomendações, como trabalhar de casa, os moradores das favelas serão as principais vítimas da Covid-19 no Brasil. Para Gilson Rodrigues, integrante do G10 Favelas (bloco de líderes e empreendedores de impacto social das comunidades que fazem ações em prol do seu desenvolvimento econômico e protagonismo) e líder comunitário de Paraisópolis, pouco é falado sobre como a situação de distanciamento será conduzida para os 12 milhões de brasileiros que vivem nessas condições. “Nesses locais, onde a quarentena é um desafio devido à grande aglomeração de pessoas, os moradores ficam ainda mais expostos ao risco de contaminação”, afirma.

VEJA MAIS: Tudo sobre o coronavírus

O ativista lembra, ainda, que grande parte dos moradores não terão condições de permanecer isolados, já que muitos só recebem dinheiro quando saem para trabalhar, como as empregadas domésticas e ambulantes. “Isso se soma ao fato de a maioria das famílias não terem renda suficiente para comprar mantimentos para os 14 dias de isolamento – quem dirá para comprar álcool em gel. São pessoas que estão inseridas no grupo de 69% dos moradores que trabalham na área de serviços: porteiros, empregadas domésticas, babás, zeladores. Os trabalhadores autônomos pertencem à parcela da sociedade que mais vai sofrer diante da pandemia.”

Em meio a este cenário que demanda urgência de contribuições, o aplicativo Ribon, criado para melhorar a experiência de doação dos indivíduos, destaca-se como um criador do hábito de “boas ações”. O mecanismo de colaborações da plataforma funciona a partir da parceria com fundações ou institutos que direcionam recursos para entidades de caridade, as quais executam as campanhas. A doação dessas entidades é disponibilizada por meio de moedas virtuais, chamadas “ribons”, que podem ser adquiridas a partir da leitura de matérias patrocinadas e de cunho social postadas no aplicativo diariamente, e depois doadas às causas escolhidas pelo usuário. Segundo Rafael Rodeiro, CEO e cofundador do app, 30 mil pessoas por mês colaboram com as campanhas.

Para Rodeiro, o diferencial da plataforma é construir consciência e engajamento, que são propiciados ainda mais durante a quarentena, uma vez que a população pode passar mais tempo acompanhando o conteúdo e se envolvendo com as causas. “Mais da metade dos usuários nunca tinha doado antes para a caridade. Então, o que a gente faz por meio da Ribon é construir um movimento de contramão em um país que não tem uma alta cultura de doações. Nós proporcionamos a criação do hábito de colaborar e mostramos aos doadores que isso faz bem ao conectá-los com algo maior.” O aplicativo é gratuito, mas também oferece a opção de uma assinatura mensal que permite que o usuário compre ribons com seu próprio dinheiro. Segundo Rafael, o desejo por este upgrade surge do próprio engajamento.

De fato, o contexto da pandemia tem trazido diversas inseguranças, mas também está gerando uma onda de solidariedade que cresce a cada dia e que é facilitada pela tecnologia. Além do Ribon, outras 27 plataformas foram criadas ou direcionaram seu foco para ajudar os grupos mais vulneráveis em meio à crise do novo coronavírus.

Veja, na galeria de imagens a seguir, as iniciativas de cada uma delas:

  • Ribon

    Além de dar visibilidade a projetos executados por ONGs globais, em áreas como nutrição infantil e combate a doenças tropicais no Brasil e outras regiões, como no sudeste da África, o aplicativo facilitador de doações já se uniu a três ações voltadas ao combate dos efeitos do novo coronavírus. Uma das campanhas, organizada pela instituição Ação da Cidadania, tem como objetivo entregar 10 mil refeições para pessoas desamparadas pela crise. Outra tem como meta destinar 200 testes de Covid-19 às comunidades do Rio de Janeiro, sob execução da entidade Favela sem Corona. Para doar, basta baixar o app.

    Getty Images
  • Centauro

    Com o objetivo de contribuir no enfrentamento da Covid-19, a Centauro se uniu a diversas personalidades do futebol e criou o projeto “Desafio Corona”, que conta com mais de 150 atletas, de diversos clubes do mundo, os quais doaram camisas exclusivas para a ação, com o intuito de arrecadar fundos para auxiliar famílias em situação de vulnerabilidade e comprar materiais médicos. Com entregas para todo o Brasil, a Centauro vai levar as peças, com frete grátis, até a casa daqueles que adquirirem as camisas doadas e ainda contribuirá com mais de 80 produtos para serem comercializados no site “Desafio Corona”. Entre eles, estão camisas do Internacional autografadas por nomes como Marcelo Lomba, Rodrigo Lindoso e Heitor Rodrigues; e uma relíquia do Arsenal assinada pelos ídolos do time de 2016 e 2017, tal como Aaron Ramsey, Peter Cech, entre outros. Idealizada por Danny Morais, zagueiro do Santa Cruz, e por Guilherme Alf, Relações Públicas no ramo artístico e esportivo, a fila de nomes mobilizados pela iniciativa é puxada pelo goleiro Alisson, do Liverpool e da Seleção Brasileira, e Denílson, pentacampeão e, atualmente, apresentador. Até o momento, a ação arrecadou mais de R$ 117 mil e parte do valor já foi destinado ao Fundo Municipal do Idoso (Recife), ao Hospital de Ijui (Rio Grande do Sul), e à Fundação Edmilson, que apoia famílias em situação de vulnerabilidade. Para conferir as camisas concorridas e contribuir com as arrecadações, clique aqui.

    Divulgação.
  • Ancord

    Em meio à crise sanitária, a ANCORD (Associação Nacional das Corretoras e Distribuidoras de Títulos e Valores Mobiliários, Câmbio e Mercadorias) lançou o novo “Projeto Social ANCORD – Iniciativa Humanitária Face à Pandemia”, que visa por meio de doações de cestas básicas, minimizar os feitos decorrentes da crise em defesa do bem-estar dos mais vulneráveis social e economicamente. A ação tem como parceria o Projeto Arrastão, que oferece suporte às famílias as quais vivem em condição de pobreza na região de Campo Limpo (SP) e bairros vizinhos. As doações poderão ser feitas por meio da página exclusiva da ANCORD, no portal do Projeto Arrastão, onde será disponibilizado duas formas de pagamento: cartão de crédito ou boleto bancário. O valor estimado para aquisição de uma cesta básica é de R$ 55. Para doar, clique aqui.

    Getty Images
  • Movimento Hapiness

    Com ações empreendedoras que efetivamente gerem impacto e transformação social, o Movimento Happiness é reconhecido por conectar empresários a iniciativas sociais e agora lança a “Plataforma Happiness”, uma rede social com um crowfunding que tem aporte de R$40 mil e expectativa de alcançar R$200 mil a partir de parceiros que acreditem na iniciativa o quanto antes, em razão da urgência da pandemia. As doações serão direcionadas ao projeto “Semeando em Heliópolis”, favela do Heliópolis, na zona sul de São Paulo, e convertidas em produtos de necessidades mais urgentes como alimentação, remédios e itens de higiene pessoal. A ONG que irá gerenciar os recursos obtidos no crowdfunding, na plataforma E-Solidar, será a OSSE – Obra Social Santa Edwiges -, que atua há mais de 60 anos na comunidade, oferecendo assistência a aproximadamente 400 famílias. No portal será postado tudo o que acontece com o Movimento e a Plataforma Happiness a partir da divulgação informações sobre os projetos e todas as ações realizadas. Também será possível acompanhar onde e de que forma os recursos serão alocados. Para doar, clique aqui.

    Divulgação
  • PicPay

    O PicPay, maior aplicativo de pagamentos do país, criou uma “Central de Doações” em meio à pandemia do novo coronavírus a fim de conectar pessoas a causas que arrecadam fundos para amparo a pessoas vulneráveis e prevenção da Covid-19. Por meio da plataforma é possível contribuir, por exemplo, com a iniciativa “Mães da Favela”, em prol de moradoras de comunidades carentes. O PicPay firmou parceria com a Central Única das Favelas (CUFA) para angariar doações para o projeto, que visa distribuir, inicialmente, bolsas de R$ 120 para 5 mil mães de 12 Estados brasileiros. Também integram a Central de Doações as ONGs Amigos do Bem, Médicos Sem Fronteiras, Instituto Ronald McDonald e Visão Mundial. O dinheiro doado a essas instituições será destinado para a compra de produtos de limpeza e alimentos para famílias do sertão nordestino, apoio às equipes médicas de locais sobrecarregados pelo alto número de casos simultâneos da Covid-19, além de ações em prol de crianças e adolescentes com câncer e em situação de vulnerabilidade. Até o momento, a “Central de Doações” já arrecadou mais de R$ 550 mil Para doar, é só baixar o app.

    Divulgação
  • ClickBus

    A ClickBus, plataforma líder em venda online de passagens rodoviárias, criou o fundo “Aquele Abraço”, que consiste em presentear pessoas com bilhetes quando as viagens puderem acontecer sem restrição de novo pelo Brasil. O fundo, no qual cada “abraço” corresponde a duas passagens – de ida e volta -, será financiado por um investimento da ClickBus, de empresas de ônibus, outros protagonistas do ecossistema rodoviário e clientes. A participação da população será feita no site da ClickBus, onde poderão colaborar com aqueles que, por conta dos impactos econômicos da Covid-19, não poderiam realizar viagens sem ajuda. Haverá uma página no portal que será atualizada em tempo real com o número de abraços que o fundo conseguirá promover pós-quarentena e a inscrição para ganhar as passagens acontecerá nas redes sociais. Para doar, clique aqui.

    Getty Images
  • Non Stop

    A Non Stop, empresa líder em gerenciamento artístico de influenciadores na América Latina, reuniu seu casting, que conta com talentos como Whindersson Nunes, Gkay, Tirulipa, Yuri Marçal, Christian Figueiredo e Luluca, para lançar o Movimento “STOP COVID”, campanha para arrecadar fundos a fim de ajudar na prevenção do novo coronavírus, os quais serão revertidos para a Cruz Vermelha Brasileira, maior instituição de ajuda humanitária do mundo. Com a meta de arrecadar R$ 1 milhão, as doações serão revertidas para auxiliar no combate e tratamento da Covid-19. Cerca de três mil voluntários do país inteiro atuarão junto a Cruz Vermelha na batalha contra o vírus. Para doar, clique aqui.

    Divulgação
  • Maria Brasileira

    A Maria Brasileira, maior rede de franquias multisserviços que oferece faxineiras, passadeiras, jardineiro, cuidador de idosos e de crianças, entre outros, lança uma campanha para arrecadação de cestas básicas. Com o tema “Unidos Por Nossas Marias”, a ação vai até o dia 27 de abril, Dia da Empregada Doméstica, e envolve os franqueados em todo o Brasil, que receberão as doações em suas unidades ou por meio de depósitos bancários, as quais serão revertidas para a compra dos cestas. Já o franchising receberá as doações pela plataforma Vakinha Virtual e a expectativa é de arrecadar R$ 30 mil, e pelo menos 2 mil cestas básicas. Até o momento já foram levantados R$ 10.385,00. Para doar, clique aqui.

  • IDIS

    O Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social (IDIS) junto ao Movimento Bem Maior e a plataforma Bsocial, se uniram para criar o “Fundo Emergencial para a Saúde – Coronavírus Brasil” destinado a doações de qualquer quantia, que serão encaminhadas para instituições em posição estratégica no sistema de saúde do país. As entidades beneficiárias são Fiocruz, Santa Casa de São Paulo, Comunitas, Hospital Santa Marcelina e Hospital São Paulo, que receberão com os valores doados respiradores, testes para diagnóstico de infecção por Coronavírus, equipamentos para UTI (cardioversores, aspiradores de secreção, monitores, etc.), e hospitalares (cadeiras de rodas, camas, macas, etc.), materiais para médicos e enfermeiros (aventais, máscaras, toucas, luvas, etc.) e medicamentos. Ao acessar a plataforma e clicar no link que leva ao Fundo Emergencial para a Saúde, o doador escolhe o valor, a forma de pagamento, finaliza sua doação e a Bsocial envia o recurso diretamente para a conta do fundo. Até o momento já foi arrecadado R$ 9 milhões. Para doar, clique aqui.

    Getty Images
  • Brazil Foundation

    A BrazilFoundation, organização pioneira em filantropia no Brasil, acaba de lançar a campanha “BrazilFoundation em Ação – Juntos contra a COVID-19”, com o objetivo de arrecadar recursos para ajudar a frear a disseminação do vírus no país. A campanha consiste em mobilizar sua rede internacional de apoiadores para incentivar organizações sociais que prestem assistência àqueles que vivem em condições precárias e sem acesso a itens básicos de higiene como água potável e sabão, além de dar suporte aos que tenham necessidade de sair de casa a qualquer custo para garantir o sustento da família. As iniciativas selecionadas estão situadas ou atuam em comunidades periféricas de centros urbanos. São elas: Redes da Maré, do Rio de Janeiro; Casa do Zezinho, em São Paulo; Instituto MandaVer, no Alagoas; e Cidade dos Meninos, em Minas Gerais. A atriz Flávia Alessandra, embaixadora da organização, abraçou a causa e atuará ativamente em suas redes sociais falando sobre a campanha e pedindo doações. Para doar, clique aqui.

    Getty Images
  • eSolidar

    A startup portuguesa abriu vaquinhas online para captar recursos às comunidades como Heliópolis e Paraisópolis, as duas maiores de São Paulo, e Rocinha, no Rio de Janeiro. O valor arrecadado será utilizado para fomentar o empreendedorismo local, ajudar os moradores em condição de vulnerabilidade (que perderam o emprego e não têm meios de subsistência), alugar uma casa para montagem de um hospital de campanha, comprar alimentos, água, colchões, preparar marmitas, construir uma UTI móvel e contratar transportes e profissionais da saúde. No total, as campanhas já arrecadaram R$ 283.269,58 e as doações continuam até dia 30 de junho. É só clicar para ajudar Paraisópolis, Heliópolis ou a Rocinha.

    Getty Images
  • OLX

    A OLX, plataforma de compra e venda que conta com um tráfego de cerca de 7 milhões de pessoas por dia, lançou há uma semana o manifesto “#QuarentenaDoBem” para estimular a doação de produtos às famílias mais impactadas economicamente com a evolução da Covid-19 no país e a redução da atividade econômica local. A recomendação é combinar a entrega do item pelo chat para quando a quarentena terminar, a fim de respeitar as orientações de isolamento social. Para colaborar com a iniciativa, os anúncios precisam seguir a seguinte regra: primeiro o nome do produto e depois “#quarentenadobem”, de forma que a tag esteja sempre depois do item. Os interessados nas doações devem entrar no site ou no app da OLX e buscar por “quarentenadobem” sem a hashtag.

    Getty Images
  • IFood

    O iFood dobrou as doações de refeições realizadas por meio da plataforma nos últimos 30 dias. No total, serão mais de 160 toneladas de alimentos para distribuir a 66 mil pessoas em situação de vulnerabilidade neste momento de pandemia da Covid-19. A entidade Ação da Cidadania destinará cestas básicas para cidades de todas as regiões do Brasil, conforme a necessidade da população. No último mês, os usuários doaram mais de 80 toneladas de alimentos, representando um aumento de 249% no volume de doações em relação ao período pré-coronavírus. As doações podem ser feitas em poucos toques: uma vez dentro do app, o usuário deve ir até a aba ‘Perfil’, selecionar o campo de “Doações” e escolher um dos três valores fixos disponíveis. O pagamento é feito via cartão de crédito cadastrado, que deve estar atualizado. A ONG responsável pela distribuição dos alimentos adota procedimentos de higiene contra a Covid-19 desde o preparo das cestas básicas até a entrega. As equipes utilizam luvas, máscaras e os recursos são embalados em um saco grosso vedado para evitar o contágio da doença. Elas também orientam as pessoas beneficiadas a importância de lavar as mãos antes de abrir as cestas e higienizar os itens antes de armazená-los.

    Getty Images
  • Beach Park

    O Beach Park organizou uma campanha para doar 50 toneladas de alimentos e bebidas a fim de ajudar as comunidades do entorno e região de Aquiraz, município onde se localiza o empreendimento. Com o objetivo de intensificar as doações feitas pelo próprio empreendimento desde março, o parque criou uma vaquinha online para arrecadações em dinheiro, que podem ser feitas de uma forma rápida e segura, sem sair de casa. A meta é atingir R$ 80 mil com o apoio dos interessados. Na primeira semana da campanha, no fim do mês de março, o Beach Park fez uma doação de nove toneladas de alimentos e bebidas do parque e do complexo hoteleiro a comunidades e instituições locais, e deve chegar a 30 toneladas de alimentos doados, beneficiando também trabalhadores autônomos como pescadores, bugueiros, rendeiras e artesãos, além de cozinheiras, garçons e vários outros profissionais que trabalham em diversas atividades ligadas ao turismo na região. Entre os itens já doados pelo Beach Park – fechado desde o dia 19/3 como medida preventiva contra o avanço do novo coronavírus – estão frutas e verduras frescas, biscoitos, ovos, queijos, manteiga, carnes, peixes, sucos e água, todos em perfeito estado de conservação e dentro da data de validade. Para doar, clique aqui.

    Getty Images
  • Rappi

    O aplicativo de delivery Rappi, comprometido em ajudar no combate a fome, se uniu ao movimento “Corona no Paredão”, criado pela ONG Gerando Falcões, e ajudará pessoas que vivem em comunidades carentes. Para isso, a startup criou um botão dentro do superapp chamado “Doe Agora”, que permite a doação de “cestas básicas digitais”. Os valores doados, que vão de R$5 a R$ 2.000, serão revertidos em recargas de R$ 100 durante três meses (de abril a junho) em cartões distribuídos para famílias necessitadas nesse período de pandemia e habilitados para compras de alimentos e produtos de higiene. O dinheiro arrecadado no app da Rappi será transferido integralmente para a Gerando Falcões. Para doar, basta baixar o app.

    Getty Images
  • AltruS

    A startup brasileira que funciona como um canal para conectar pessoas físicas e jurídicas que desejam colaborar com iniciativas sociais também abriu arrecadações online na segunda-feira (29). Entre as campanhas disponíveis para ajudar, existe uma direcionada para a compra de alimentos à população da região carente da Água Funda, na Zona Sudeste paulistana, organizada pela ONG Novos Herdeiros Humanísticos. A ideia é que os integrantes da instituição distribuam cinco pães e um litro de leite por família a fim de evitar filas nas padarias e ajudar os necessitados. Uma vez que a plataforma atua apenas como facilitadora de comunicação entre as partes envolvidas, as colaborações por meio dela não são consideradas investimentos ou empréstimos, mas exclusivamente doações. Para doar, clique aqui.

    Getty Images
  • CoronaVIDAS.net

    O coletivo nacional de voluntários Corona Vidas, fundado no dia 25 de março, criou o projeto “CoronaVIDAS.net Bahia”, que consiste em uma vaquinha online para arrecadar recursos para a fabricação de protetores faciais Face Shield para os profissionais de saúde da Bahia. Com os recursos, será produzido um molde para injeção na indústria com capacidade de fabricação de quatro equipamentos por minuto, gerando um total de 4 mil unidades por dia. A ideia é entregar 25 mil protetores faciais nos pontos hospitalares em Feira de Santana e até 175 mil para outros hospitais da Bahia em parceria com indústrias da região. A meta de arrecadação é R$ 50 mil e já foram doados R$ 11.842,00. Para doar, clique aqui.

    Getty Images
  • Benfeitoria

    A plataforma de financiamento coletivo está com diversas campanhas no ar para colaborar para o combate dos efeitos do novo coronavírus no Brasil. No canal “Redes de Apoio – Covid-19”, há mais de 80 projetos de doações, que já mobilizaram mais de R$ 17 milhões e visam, por exemplo, levar produtos de higiene e cestas básicas às favelas, equipamentos de saúde em escassez a alguns hospitais, bem como gerar renda aos trabalhadores autônomos mais impactados. Clique aqui para ver todas as campanhas.

    Getty Images
  • Banco BV

    O BV iniciou uma campanha de mobilização social para arrecadação de recursos em apoio ao combate à Covid-19 que funciona como uma grande ação em rede na qual pessoas físicas e jurídicas podem doar por meio da plataforma “Abrace uma Causa”. Para cada R$ 1 doado por pessoa física, o BV doará a mesma quantia, até o total de R$ 10 milhões. Os valores arrecadados serão destinados, prioritariamente, para compra de insumos hospitalares e distribuição de itens de primeira necessidade. Com o apoio do Instituto Votorantim e da Fundação do Banco do Brasil, o BV garantirá que os recursos sejam aplicados de forma rápida e transparente de modo a beneficiar todas regiões do Brasil, com foco nas localidades mais impactadas pelo novo coronavírus. A prestação de contas será feita na própria plataforma e estará disponível para acompanhamento da sociedade. Até o momento, já foram arrecadados R$ 471,7 mil e as arrecadações serão feitas até dia 30 de abril. Para doar, clique aqui.

    Getty Images
  • Catarse

    A plataforma Catarse, a primeira baseada em financiamento coletivo para projetos criativos a atuar no Brasil, também está mantendo diversas campanhas para colaborar com o combate aos impactos da Covid-19. Entre elas, estão as ações “Por Uma Quarentena Mais Justa”, que pretende levar água, comida e itens de higiene para as favelas mais precárias e invisíveis do país, organizada pela instituição TETO Brasil; “Juntos contra a Covid-19”, idealizada pela confecção CYN, que busca arrecadar recursos para produzir 500 gorros e 500 pijamas cirúrgicos por semana; e “Supera-Ação”, que tem como objetivo oferecer 5 mil testes de coronavírus ao sistema de saúde a partir da parceria entre o complexo de inovação e empreendedorismo Supera Parque, em Ribeirão Preto, e várias startups que converterão seus laboratórios e espaços de equipamentos em um enorme laboratório de diagnóstico. Juntas, as campanhas já arrecadaram mais de R$ 230 mil. Para ver todos os projetos, clique aqui.

    Getty Images
  • Vakinha

    Esta é uma das plataformas de crowdfunding mais ativas, que reúne dezenas de iniciativas colaborativas. A campanha “#TodosUnidos”, promovida pela Comunitas, já arrecadou R$ 759 mil da meta de R$ 3 milhões para ajudar a equipar as UTIs da rede pública do Brasil. A Central Única das Favelas, por sua vez, lançou a campanha “#FavelaContraOVírus” e há ainda um projeto organizado pela Uneafro Brasil que visa apoiar famílias negras de comunidades de São Paulo, do Rio de Janeiro e a da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil. Para ver todas as opções, clique aqui.

    Getty Images
  • Kickante

    A Kickante também é outra plataforma de crowdfunding muito utilizada. Entre as campanhas de ajuda no combate aos impactos do coronavírus há algumas opções em andamento para ajudar a alimentar famílias de baixa renda. Também é possível lançar o próprio projeto a fim de colaborar com quem precisa. Para ver todas as opções, clique aqui.

    Getty Images
  • Moldalmais

    O banco digital de investimentos criou a campanha #FuturoMaisSolidario para aproveitar os cerca de 850 mil clientes ativos na plataforma da instituição e formar uma rede de solidariedade com a participação de investidores, parceiros, colaboradores e demais públicos e, assim, arrecadar recursos online para o setor de saúde em meio a pandemia do Covid-19. O projeto apoia as instituições União Rio e a Comunitas, que levarão a hospitais de referência nos estados do Rio de Janeiro e de São Paulo aparelhos de UTI e equipamentos de proteção, como máscaras e luvas, além de alimentos e produtos de higiene para famílias de comunidades em situação de vulnerabilidade. Também são parceiros da ação os influenciadores parceiros do modalmais: Nathalia Arcuri, do canal Me Poupe!, o técnico de vôlei Bernardinho e seu filho, o jogador Bruninho. Em pouco dias, a arrecadação feita por meio da União Rio já chegou a mais de R$ 11 milhões e a meta é alcançar R$ 15 milhões. Para doar, clique aqui.

    Getty Images
  • Hospital das Clínicas

    O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo – HCFMUSP lançou, em parceria com o InovaHC e com a Faculdade de Medicina (FFM), a campanha “#HCCOMVIDA” por meio de uma plataforma própria para captação de doações da sociedade civil, devido à urgência das demandas que dispararam frente à crise do novo coronavírus. O portal da instituição Viralcure, de código aberto, não faz custódia de fundos nem cobra taxas, de modo a direcionar a totalidade das doações para depósito direto na conta da FFM – entidade privada, sem fins lucrativos, reconhecida por seu caráter filantrópico, criada em 1986 por alunos da Faculdade de Medicina da USP (FMUSP). Os recursos serão revertidos em máscaras cirúrgicas ou N-95, luvas, óculos, testes de detecção do vírus, entre outras necessidades hospitalares. Para doar, clique aqui.

    Getty Images
  • Restaurante Jamile

    Com o objetivo de ajudar moradores de rua e pessoas em situação de vulnerabilidade, o restaurante Jamile, inaugurado em 2015 e localizado no bairro do Bixiga, em São Paulo, lançou a campanha “Marmita do Bem”. O projeto é uma iniciativa dos sócios da casa, Anuar Tacach, Alberto Hiar e o chef Henrique Fogaça, e possibilita colaborar com a campanha por meio de em uma “vaquinha eletrônica”, com qualquer valor. O Jamile pretende produzir mais de 7 mil marmitas para doar em diversos bairros da capital de São Paulo. Até o momento, a campanha já arrecadou R$ 18.908. Para doar, clique aqui.

    Getty Images
  • Atados

    Essa plataforma social é focada no voluntariado. Atualmente, durante a epidemia, ela decidiu fechar momentaneamente as inscrições para vagas presenciais e focar nessa atividade à distância. Há várias iniciativas voltadas para ajudar quem faz serviços essenciais e quem está em quarentena, sob medida para profissionais de comunicação, tecnologia, gestores, entre outros. Para ver todas as opções, clique aqui.

    Getty Images
  • HELPIE

    A plataforma digital que conecta consumidores e fornecedores de serviços de qualquer natureza por meio da web e de aplicativos móveis criou uma seção para oferta de ações voluntárias para grupos de risco e também para aqueles que precisam de orientações sobre como agir nesse momento de isolamento social. Na nova opção “Voluntário Digital”, pensada exclusivamente para esse período de quarentena, o interessado pode cadastrar uma forma de colaborar individualmente com alguém, seja para um bate-papo emocional por telefone, apoio logístico aos idosos que não podem sair de casa, pequenos reparos ou até oferecer orientações sobre como convencer amigos e familiares a levarem a sério as medidas de distanciamento e higienização. Segundo Leandro Gotz, CEO do HELPIE, todas as conversas são monitoradas pelo backoffice da empresa, que conta com um time de profissionais da saúde para garantir que as orientações fornecidas pelos voluntários estejam corretas. A plataforma conta com a parceria do SEBRAE para capacitação dos profissionais que hoje já oferecem mais de 400 tipos de serviços. Para se cadastrar, clique aqui.

    Getty Images
  • Instituto Êxito de Empreendedorismo

    O Instituto Êxito de Empreendedorismo, instituição sem fins lucrativos, criou a campanha “Êxito Solidário”, com objetivo de arrecadar cerca de 50 mil cestas básicas que serão destinadas a pequenos empreendedores e famílias carentes em todo o Brasil. As doações são ilimitadas e podem ser feitas no portal da entidade, onde o doador escolhe com quantos recursos quer contribuir e realizar o pagamento online. Todos os donativos arrecadados na campanha têm a finalidade de comprar as cestas básicas as quais serão, posteriormente, entregues para as instituições sem fins lucrativos Projeto Transforma Brasil e Fundação Amor Horizontal. Para doar, clique aqui.

    Getty Images

Ribon

Além de dar visibilidade a projetos executados por ONGs globais, em áreas como nutrição infantil e combate a doenças tropicais no Brasil e outras regiões, como no sudeste da África, o aplicativo facilitador de doações já se uniu a três ações voltadas ao combate dos efeitos do novo coronavírus. Uma das campanhas, organizada pela instituição Ação da Cidadania, tem como objetivo entregar 10 mil refeições para pessoas desamparadas pela crise. Outra tem como meta destinar 200 testes de Covid-19 às comunidades do Rio de Janeiro, sob execução da entidade Favela sem Corona. Para doar, basta baixar o app.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).