Cartier revela as 21 finalistas do prêmio Women’s Initiative

Candice Pascoal, da Kickante e Tatiana Pimenta, da Vittude

Muito antes do empreendedorismo feminino estar na boca do povo, a francesa Cartier já promovia o concurso anual Cartier Women’s Initiative, iniciativa em parceria com a escola de negócios INSEAD e a consultoria Mckinsey & Company. A cada ano, desde 2006, são selecionadas 21 mulheres empreendedoras para um programa de mentoria com especialistas. São três finalistas para cada um dos continentes: América Latina, América do Norte, Europa, África Subsaariana, Oriente Médio e Norte da África, Extremo Oriente e Sudeste Asiático. Ao final do programa, no qual um time de especialistas analisa minuciosamente os planos de negócios resultantes do processo de aconselhamento, são escolhidas sete campeãs, uma por continente.

LEIA MAIS: Cristina Junqueira, do Nubank, explica porque uma base sólida dos negócios é fundamental em tempos de crise

As vencedoras ganham US$ 100 mil em dinheiro e sessões de coaching. As 14 finalistas, US$ 30 mil cada. Até hoje, já foram distribuídos US$ 14,5 milhões. Neste ano, o time de mulheres selecionado inclui fundadoras de business de segmentos diversos, sendo o mais recorrente o da telemedicina, seguido por agricultura, sustentabilidade e finanças. Apesar de seis brasileiras já terem participado do prêmio – Erika Foureaux (2014), Bel Pesce (2014), Candice Pascoal (2017), Neide Sellin (2018), Paula Gomez (2018) e Tatiana Pimenta (2019) – a turma atual não contempla nenhuma representante do país.

A empreendedora Candice Pascoal, fundadora e CEO da Kickante, levou o prêmio para casa em 2017, quando a empresa de financiamento coletivo tinha quatro anos. Para ela, que desenvolveu um negócio pioneiro no Brasil, o networking herdado do processo é um poderoso agente facilitador: “O que eu diria para as mulheres que têm uma startup ou um projeto que preenche os requisitos para o prêmio é para participar. É um prêmio que ‘keeps on giving’, você é convidada para eventos, as participantes acabam virando amigas. A conexão que criamos é um grande benefício, mais do que o financeiro.”

A empresária ressalta a importância de ter muitos dados econômicos sobre o negócio, pois o processo seletivo é rígido. “É uma competição de business plan, por isso é preciso entender dos seus números, da empresa e não esconder nada. Você estará na frente de um júri que interpreta e questiona cada informação.” E aconselha: “Empreender é uma longa quilometragem. Você tem que ser muito otimista em relação a tudo que precisa colocar em prática para o sucesso, mas precisa ser pessimista em relação aos números e nunca acreditar na própria projeção. A empresa que tem sucesso é a que consegue se manter viva. No fim do dia, é tudo sobre fluxo de caixa”, conclui Candice.

Já Tatiana Pimenta, a fundadora da Vittude (plataforma de atendimento psicológico online) foi finalista em 2019. A empresa tem um ritmo constante de crescimento de 20% desde janeiro de 2018 e está experimentando um boom durante a pandemia de Covid-19, inclusive com a criação de novos postos de trabalho. A empreendedora ressalta, assim como Candice, o networking de qualidade e também a relação com investidores internacionais que herdou da premiação, mas reforça que o processo de inscrição é demorado e exige muitos detalhes, o que acaba sendo algo bom até para repensar o negócio.

“O meu principal conselho é ter persistência e não desistir de algo no qual você acredita. A gente vai ouvir um monte de ‘não’ no meio do caminho. Principalmente agora, com a pandemia, eu estou vendo várias pessoas ‘que não acreditavam’ e acabaram percebendo que sim, é possível. Se você acredita no que está fazendo, deixe os outros de lado e mostre do que é capaz”, diz Tatiana.

Conheça as finalistas de 2020 e suas empresas:

  • Lisseth Cordero, México
    Empresa: Ecolana
    Plataforma digital e consultoria que conecta consumidores, marcas e coleções a centros de reciclagem para diminuir o lixo
  • Adriana Luna, México
    Empresa: Tierra de Monte
    Cria produtos agrícolas que renovam a biodiversidade e a fertilidade do solo, além de empoderar os trabalhadores
  • Adriana Mata, Chile
    Empresa: Cuantix
    Plataforma que ajuda os empreendedores sociais a medirem os impactos nas vidas das pessoas e solucionar problemas sociais
  • Stephanie Benedetto, EUA
    Empresa: Queen of Raw
    Um marketplace de compra e venda de tecidos que não foram usados, colaborando para não haver o descarte dos mesmos, e transformar o que seria poluição em lucros
  • Kelly Nguyen, EUA
    Empresa: IDLogiq
    Auxilia os pacientes a verificar e administrar medicamentos por meio de um sistema de inteligência
  • Sarah Tuneberg, EUA
    Empresa: Geospiza
    Analisa e prevê riscos de mudanças climáticas, permitindo a tomada de decisões em cenários incertos
  • Sofie Blakstad, Dinamarca
    Empresa: Hiveonline
    Auxilia pequenos negócios a conseguir crédito e acessar mercados que não conseguiriam normalmente por meio de uma história sólida, baseada em ações e fatos
  • Anna-Sophie Hartvigsen, Dinamarca
    Empresa: Female Invest
    Promove a igualdade financeira entre os gêneros ensinando mulheres a investir e finanças pessoais
  • Dora Palfi, Suécia
    Empresa: ImagiLabs
    Trata-se de uma comunidade e ferramenta mobile que torna o ensino de programação divertido e relevante para meninas adolescentes
  • Véna Arielle Ahouansou, Benim
    Empresa: Kea
    Ajuda médicos a salvar mais vidas por uma plataforma que interconecta hospitais e promove o acesso às informações de saúde dos pacientes
  • Temie Giwa-Tubosun, Nigéria
    Empresa: LifeBank
    É uma distribuidora de medicamentos que se apoia em dados para descobrir e entregar produtos básicos para hospitais na Nigéria
  • Funkola Odeleye, Nigéria
    Empresa: DIYLaw
    Empodera empreendedores na Nigéria promovendo o acesso online a serviços lcom preços acessíveis e recursos
  • Nadia Gamal El Din, Egito
    Empresa: Rahet Bally
    É uma plataforma de inclusão para o suporte de mães egípcias, atuando em diversas vertentes, como emocional, finanças, intelectual.
  • Rihab Hasanain, Arábia Saudita
    Empresa: Blooming Bs
    Iniciativa social voltada a combater a obesidade infantil na Arábia Saudita por meio da oferta de comidas saudáveis e gostosas nas escolas
  • Rasha Rady, Egito
    Empresa: CHEFAA
    É uma plataforma digital que auxilia portadores de doenças crônicas a encomendar, organizar e abastecer os seus medicamentos independente da renda ou localização
  • Nini Mao, China
    Empresa: Very FQ
    Entrega educação financeira para as famílias chinesas por meio de workshops, programas de áudio, jogos, livros e ferramentas práticas
  • Weini Qiu, China
    Empresa: Haalthy
    Usa dados dos pacientes para pesquisas da cura do câncer e tratamentos acessíveis
  • Charlotte Wang, China
    Empresa: EQuota
    É uma empresa de otimização de energia que combina inteligência artificial e big data para entregar soluções energéticas eficientes
  • Joanne Howarth, Austrália
    Empresa: Planet Protector Packaging
    Manufatura de pacotes sustentáveis feitos de sobras de lã de ovelha
  • Jenna Leo, Austrália
    Empresa: Home Care Heroes
    Promove a conexão de membros das comunidades com os mais vulneráveis, a fim de diminuir o isolamento social
  • Lisa King, Nova Zelândia
    Empresa: Eat My Lunch
    A missão é certificar que nenhuma criança vá para a escola com fome, se apoiando no modelo compre um – doe um para possibilitar almoços para crianças que precisam

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).