Como reinventar o desfile de moda? Conheça as alternativas (on e offline) de 3 marcas durante o isolamento social

Divulgação/Hermès
Divulgação/Hermès

A apresentação online, em tempo real no site da marca, foi como se fossem os bastidores de uma sessão fotográfica para um lookbook

Uma das críticas mais frequentes recebidas pela moda era sobre a apresentação das coleções nas semanas de moda. Dizia-se que o formato “desfile” havia aumentado em tamanho mas não realmente evoluído para outras formas de expressão. Como já comentei aqui, a Semana da Alta-Costura em Paris deu o start para as apresentações online e agora os estilistas se empenham em encontrar a melhor tradução digital para suas coleções prêt-à-porter. Aproveitei para observar como três marcas enfrentaram o desafio desses tempos em que o distanciamento social dita novos contextos e regras, em suas coleções primavera/verão 2021.

Hermès: eficiente e direto ao ponto

Divulgação/Hermès
Divulgação/Hermès

A linha masculina da francesa Hermés reduziu os 40 looks de um desfile normal para 18

A linha masculina da francesa Hermés, com direção criativa de Véronique Nichanian, investiu no clássico e atemporal casual chic da marca. A estilista diz ter imaginado materiais e texturas para a temperatura tropical de Singapura, focou na silhueta “blusão”, reduziu os 40 looks de um desfile normal para 18 e entregou tudo para o diretor teatral Cyril Teste. Ele criou uma apresentação online, em tempo real no site da marca, como se fossem os bastidores de uma sessão fotográfica para um lookbook, com a própria Véronique arrumando os modelos – um casting enxuto e diverso – e com muitos closes dos acessórios. Tudo correto, impecável e discreto (a performance está disponível no YouTube). “Nunca me interessei pelo aspecto frenético da moda. Na Hermés temos um lema que vem do hipismo e serve como uma luva para o momento atual: ‘Sempre em frente, calmo e equilibrado’”, diz Véronique.

Prada: minimalismo “cabeça”

Conhecida pela atitude radical e intelectualizada, a italiana Miuccia Prada explicou, em um e-mail para a imprensa, influencers e compradores, a ideia para sua coleção masculina e pré-coleção feminina: “As roupas são simples, mas com o conceito de simplicidade usado como antídoto para as complicações inúteis. O momento pede seriedade, um momento para pensar e refletir. O que fazemos? Para que serve a moda? Por que estamos aqui? Em que a moda pode contribuir para a comunidade?”. Ela convocou dois fotógrafos – um deles o festejado alemão Juergen Teller – dois cineastas e uma artista plástica para registrarem em um curta metragem (disponível no YouTube) diferentes visões de suas roupas de minimalismo refinado – em preto, branco, cinza com um ou outro tom pastel – vestidas por um casting diverso. Chamou tudo de “O Desfile Que Nunca Aconteceu”. Sempre muito “cabeça” dona Miuccia.

Loewe por Jonathan Anderson: desfilando dentro da caixa

Reprodução/Loewe
Reprodução/Loewe

Caixa com doze divisões com amostras de tecidos, lookbook, o molde de um dos looks e até um disco compacto de vinil (45 RPM) com a trilha sonora do desfile

Finalmente, Jonathan Anderson, o jovem irlandês diretor criativo da marca espanhola Loewe, decidiu unir online e offline no lançamento da coleção masculina e pré-coleção feminina. Para todos os usuários de smartphones, tablets e notebooks, a marca promoveu 24 horas de streaming ao vivo – via website e Instagram – com atrações musicais, entrevistas com artistas, um vídeo sobre a arte do shibori – técnica japonesa de tintura manual de tecidos – e outros aspectos que influenciaram a coleção que tem como foco principal a figura geométrica do círculo. Já a imprensa, influencers, compradores, celebridades e amigos da Loewe receberam uma caixa de cinco quilos. Por isso Jonathan batizou a apresentação de “show-in-a-box” (desfile na caixa). A caixa tem o formato de um arquivo com doze divisões e, segundo o estilista: “Traduz todo o processo criativo em uma experiência sensorial, da inspiração inicial à montagem do desfile”. Tem amostras de tecidos, lookbook, o molde de um dos looks para quem quiser confeccioná-lo – pode ser baixado no site da marca – o perfil de cada membro da equipe de criação e até um disco compacto de vinil (45 RPM) com a trilha sonora do desfile, para ser tocado com a ajuda dos dedos. “Acho que no momento as pessoas estão precisando compartilhar emoções”, resumiu Jonathan Anderson.

A julgar por essa mostra, várias surpresas fashion nos aguardam. Em várias formas, tamanhos, cores e interatividade. Afinal, não é isso que se espera de uma temporada de moda?

Donata Meirelles é consultora de estilo e atua há 30 anos no mundo da moda e do lifestyle

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).