Governo anuncia programa Casa Verde e Amarela

Ilkercelik/Getty Images
Ilkercelik/Getty Images

O programa, que substituirá o Minha Casa Minha Vida, tem como a meta atender 1,6 milhão de famílias de baixa renda

O governo federal anunciou hoje (25) a criação do programa de moradias voltado para a baixa renda Casa Verde e Amarela, que entre os objetivos busca regularizar imóveis, incentivar juros baixos para financiamentos imobiliários e finalizar obras que estão paradas.

O programa, do Ministério do Desenvolvimento Regional (MDR), tem como a meta atender 1,6 milhão de famílias de baixa renda com o financiamento habitacional até 2024, um incremento de 350 mil, de acordo com o comunicado à imprensa.

LEIA MAIS: Caixa ampliará para 4 meses período de pausa em pagamento de financiamento imobiliário, diz Bolsonaro

“Isso será possível com a redução na taxa de juros para a menor da história do Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS) e mudanças na remuneração do agente financeiro”, explicou o ministério em nota.

O público alvo do programa, que substituirá o Minha Casa Minha Vida, é composto por famílias residentes em áreas urbanas com renda mensal de até R$ 7 mil e famílias residentes em áreas rurais com renda anual de até R$ 84 mil, de acordo com a medida provisória editada pelo presidente Jair Bolsonaro.

A MP “busca aprimorar os programas habitacionais existentes e diversificar o catálogo de opções ofertado, tendo em vista as realidades diversas sobre as quais a política habitacional deve incidir”, afirma nota da Secretaria-geral da Presidência da República. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).