Água na lua é mais abundante do que se sabia

Lucy Nicholson/Reuters
Lucy Nicholson/Reuters

Eclipse lunar fotografado de Santa Mônica, na Califórnia

A lua carece da grande presença de água líquida característica da Terra, mas cientistas disseram hoje (26) que a água lunar é mais disseminada do que se sabia, já que existem moléculas de água presas em grãos minerais na superfície e pode haver mais ainda em áreas de gelo ao abrigo de sombras permanentes.

Embora pesquisas de 11 anos atrás indicassem que a água é relativamente disseminada em pequenas quantidades na lua, agora uma equipe de cientistas está relatando a primeira detecção inequívoca de moléculas de água na superfície lunar.

LEIA MAIS: Startup levanta US$ 34 mi para estudos de medicamento psicodélico que pode combater a depressão

Ao mesmo tempo, outra equipe está relatando que a lua possui cerca de 40 mil quilômetros quadrados de sombras permanentes que podem abrigar bolsões ocultos de água na forma de gelo.

A água é um recurso precioso, e uma presença relativamente abundante na lua pode ser importante para futura missões tripuladas e robóticas que tentarem extrair e utilizar água para propósitos como um suprimento de consumo ou um ingrediente de combustível.

Uma equipe liderada pelo Centro de Voo Espacial Goddard da Agência Aeroespacial dos Estados Unidos (Nasa), em Maryland, detectou água molecular na superfície lunar, presa dentro de lentes naturais ou entre grãos de detritos.

Observações anteriores foram prejudicadas pela ambiguidade entre a água e sua prima molecular hidroxila, mas a nova detecção usou um método que rendeu descobertas inquestionáveis.

A única maneira de esta água sobreviver nas superfícies lunares banhadas de sol onde foi observada é estar incrustrada em grãos minerais, que a protegem do meio ambiente frígido e implacável.

LEIA TAMBÉM: Vacina de Oxford contra Covid-19 gera resposta imune em jovens e idosos, diz AstraZeneca

O segundo estudo, também publicado na revista “Nature Astronomy”, focou nas chamadas armadilhas frias na lua, regiões de sua superfície que existem em um estado de escuridão perpétua onde as temperaturas estão abaixo de cerca de 163 graus Celsius negativos. Isso é frio o suficiente para que a água congelada possa permanecer estável por bilhões de anos.

A Nasa está planejando um retorno dos astronautas à lua, uma missão que visa preparar o caminho para uma viagem posterior que levará uma tripulação a Marte. Fontes acessíveis onde a água pode ser colhida na lua seriam benéficas para esses empreendimentos. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).