Pistola usada por Sean Connery como 007 vai a leilão em Hollywood

United Artist/Getty Images
United Artist/Getty Images

Sean Connery em “007 Contra o Satânico Dr. No” em 1962

A arma usada pelo falecido Sean Connery no primeiro filme de James Bond é a principal atração de um leilão em Hollywood no mês que vem.

A pistola semiautomática Walther PP, que assim como o modelo menor PPK se tornou uma das imagens mais conhecidas da franquia, deve sair por algo entre US$ 150 mil e US$ 200 mil na venda de 6 de dezembro da Julien’s Auctions em Beverly Hills, informou a casa de leilões hoje (9).

LEIA MAIS: Famoso biquíni de Ursula Andress em “Dr. No” pode render até US$ 500 mil em leilão

A arma desativada foi usada por Connery em “007 Contra o Satânico Dr. No” em 1962. Connery, que inaugurou o papel de James Bond nas telas, morreu no dia 31 de outubro aos 90 anos.

“A silhueta de 007 segurando esta arma se tornaria a imagem mais emblemática da franquia James Bond e uma das referências pop mais reconhecíveis de todos os tempos”, disse Martin Nolan, diretor-executivo da Julien’s Auctions, em um comunicado.

Divulgação
Divulgação

A arma usada pelo Sean Connery no primeiro filme de James Bond

A pistola vem do Bapty, o fornecedor de arsenal britânico do filme, que a vendeu em um leilão em 2006, disse a Julien’s.

A arma é o principal item dos cerca de 500 lotes de suvenires de Hollywood, que incluem o capacete usado por Tom Cruise em “Top Gun – Ases Indomáveis” e o primeiro vestido usado pela ex-primeira-dama norte-americana Michelle Obama a ir a leilão. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).