Para Lissa Carmona, CEO da Etel Design, conquista é “divulgar o design brasileiro e vê-lo ser reconhecido no mundo”

Formada em administração pela FGV, a empresária fez a transição de carreira para o mundo da arte e do design e se tornou sócia da mãe .

Donata Meirelles
Compartilhe esta publicação:
Fernando Laszlo
Fernando Laszlo

Lissa Carmona é CEO e curadora da Etel Design, fundada em 1990 por sua mãe e sócia, a designer Etel Carmona

Acessibilidade


Conversar com Lissa Carmona é mergulhar na arte e no design produzido no Brasil nos últimos cem anos por nomes como Oscar Niemeyer, Lina Bo Bardi, Sergio Rodrigues, Giuseppe Scapinelli e Jorge Zalszupin, entre outros. Aliás, obras de todos os citados fazem parte da coleção de mobiliário da Etel Design, empresa da qual ela é CEO e curadora, fundada em 1985 por sua mãe e sócia, a designer Etel Carmona.

Com lojas em São Paulo, Milão e Houston – além de representações em diversas cidades no Brasil e no mundo – a Etel Design trabalha com reedições de clássicos do mobiliário moderno nacional e a produção de criadores contemporâneos – como Carlos Motta, Isay Weinfeld, Claudia Moreira Salles e Lia Siqueira – utilizando madeira certificada obedecendo protocolos de sustentabilidade e preservação ambiental. “Por isso gosto de dizer que somos uma ‘design gallery’ mais do que uma loja”, define Lissa.

No momento, como empresária, ela enfrenta a segunda onda de impacto provocada pela pandemia. Há um ano, Lissa estava na Itália e viu todo o início da crise planetária. Cancelou um grande evento que iria realizar e embarcou no último voo para o Brasil, antes do lockdown decretado pelo governo italiano. Por aqui tratou de cuidar da segurança dos 150 funcionários diretos da empresa, obedecendo o distanciamento social, adotando o trabalho remoto e outras medidas de prevenção estabelecidas pelas autoridades sanitárias.

“Todos nós administradores e gestores tivemos que colocar à prova todo o nosso aprendizado e treinamento para enfrentar uma crise”, observa ela, que é formada em administração pela Fundação Getúlio Vargas e iniciou a carreira profissional no mercado financeiro. Por isso, se mostra muito confiante na participação da Etel em dois grandes eventos internacionais em 2021: a edição de 60 anos do Salão do Móvel de Milão e a Expo Dubai, que devem acontecer em setembro e outubro próximos. Ela também assumiu a diretoria internacional da Fundação Oscar Niemeyer e diz já ter engatilhado dois grandes projetos, por enquanto ainda secretos.

Aplicada e estudiosa, Lissa Carmona fez a transição do mercado financeiro para o mundo da arte, design e cultura nos anos 1990, quando morava em Nova York e trabalhava em um banco. Recebeu um chamado de sua mãe para ajudá-la em uma exposição que a Etel iria participar na cidade. A filha aceitou o desafio – cuidando entre outras coisas da logística para o transporte das peças – e não só descobriu um novo caminho profissional como um campo de pesquisa e aprendizado.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

“Ao ver o sucesso do design brasileiro no evento e que os nossos catálogos, feitos à mão, se esgotaram rapidamente, senti que tínhamos uma oportunidade diante de nós. Como sou uma pessoa da academia, eu fui estudar”, conta. A paixão foi instantânea, virou sócia da mãe e o sucesso foi inevitável.

Com a eloquência e a segurança de quem entende da matéria, Lissa explica de maneira cativante as várias fases, influências e realizações da “escola brasileira de design”, da qual fala com brilho nos olhos. Resgatar esse legado, detectar seus desdobramentos contemporâneos e compartilhar essa apetitosa fatia da cultura brasileira com o mundo é a missão da Etel Design. “É preciso recontar e reafirmar essa história, pois existe um passado rico de realizações de arte, design e arquitetura brasileiros, feitos nos anos 1940 e 1950 que só começou a ser recuperado nos final dos anos 1990, depois de ter sido negligenciado durante o regime militar e praticamente esquecido nos anos 1980”, avalia.

A abertura de um endereço próprio da marca em Milão faz todo o sentido, não só por se tratar da capital internacional do design e decoração, mas também pelas raízes italianas da empresária. Agora, a pergunta que não quer calar: por que uma loja Etel em Houston, no Texas, e não em Nova York?

Ela é rápida no gatilho: “Porque em Houston está a maior coleção de arte e design brasileiro fora do Brasil. A coleção Adolpho Leirner faz parte do acervo do Museum of Fine Arts da cidade”, lembrando a polêmica aquisição feita pelo museu americano em 2007, que causou indignação no mundo da arte nacional. Sem falar que Houston é um dos grandes centros econômicos dos Estados Unidos e, por lá, negócios e cultura costumam caminhar juntos.

Atualmente, Lissa está entusiasmada com a colaboração estabelecida com a designer italiana Patricia Urquiola, que está desenvolvendo uma linha de produtos para a Etel utilizando resina feita com alta tecnologia a partir do bagaço da cana-de-açúcar: “Brasileiro e sustentável”, resume.

A seguir, Lissa Carmona #MulherdeSucessoResponde:

Donata Meirelles: Com qual mulher de sucesso da História você mais se identifica?

Lissa Carmona: Lina Bo Bardi (1914-1992), a genial arquiteta e designer italiana que veio para o Brasil no final dos anos 1940 e fez, entre outras obras, o prédio do MASP, a Casa de Vidro no Morumbi e o Sesc Pompeia, em São Paulo. Sempre é bom lembrar que Lina se naturalizou porque realmente escolheu ser brasileira. Inclusive ela morou durante algum tempo em Salvador, para conhecer melhor o país que adotou como seu pelo resto da vida.

DM: Qual sua maior conquista, profissional e pessoal?

LC: Ser uma divulgadora da escola brasileira de design no mundo. E ter o prazer de vê-lo ser reconhecido e respeitado internacionalmente. Porque o Brasil realmente foi vanguarda nesses campos nos anos 1950 e Oscar Niemeyer é um dos maiores arquitetos de todos os tempos. Minha maior conquista pessoal, sem dúvida, é a família.

DM: Não confunda sucesso com…

LC: Fama.

DM: Que qualidades você mais admira em uma pessoa?

LC: Determinação.

DM: Qual o seu maior luxo não material?

LC: Tempo.

DM: Se você pudesse ser um animal, qual seria? Por quê?

LC: Um touro! Porque representa a força e o poder de mudar tudo. Ele literalmente vai pra cima.

DM: Qual a sua filosofia de vida?

LC: Pode parecer clichê, mas é fazer sua parte, ajudar quem necessita e valorizar cada momento de felicidade.

Com Mario Mendes e Antonia Petta

Donata Meirelles é consultora de estilo e atua há 30 anos no mundo da moda e do lifestyle.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Compartilhe esta publicação: