A vida é agora

Use aquela roupa especial, tire os talheres de prata do armário, não existe ocasião especial: é preciso viver todos os dias .

Paula Drumond Setubal
Compartilhe esta publicação:
Greta Hoffman/Pexels
Greta Hoffman/Pexels

Os dias mais importantes das nossas vidas chegam sem aviso prévio. Precisamos viver o agora

Acessibilidade


Esta semana participei de um evento no qual no qual tive que resumir toda a minha história em sete minutos. Percebi que os momentos mais importantes e transformadores da minha vida, também conhecidos como “turning points”, foram exatamente aqueles pelos quais eu não esperava. Muitas vezes, enquanto estamos nos preparando para um determinado evento, não percebemos que ele já esta acontecendo diante dos nossos olhos.

Esperamos a fase dos filhos que não será mais desafiadora, o momento em que o trabalho apenas realizará sem pesar, o dia em que todos os pratinhos da vida (família, trabalho, casamento) estarão equilibrados. O dia em que não existirão pendências, em que não nos sentiremos em falta com aquele amigo, ou que teremos a sensação de que abraçamos nossos pais o suficiente. O dia em que estaremos num mar calmo, sem ondas. Sinto te dizer, mas esse momento não chegará.

LEIA TAMBÉM: Os dias são longos, os anos são curtos

Quando eu era mais nova, vivia esperando a ocasião perfeita. Achava que a vida começaria quando eu entrasse na faculdade, achava que chegaria a ocasião perfeita pra usar determinado vestido, não queria queimar minhas possibilidades.

Lembro quando fui morar em uma boarding school na Suíça e comprei minha primeira bolsa da Prada. Eu a guardei por uns seis meses no armário até voltar ao Brasil e finalmente usá-la, afinal, a vida começaria quando eu voltasse pra casa. Aquele na minha cabeça era o ensaio pra “vida de verdade” que viria pela frente. Mal sabia que ali eu já estava vivendo uma das partes mais lindas da minha história, que renderia lembranças e amizades que resistiriam bravamente ao tempo e à distância. Ia adiando tanta coisa, e aquele momento ideal só se afastava mais.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Ao longo do tempo, percebi que eu estava errada. A vida foi acontecendo enquanto eu estava ocupada fazendo planos. Me preparando pra algo que hoje nem sei o que era. Os momentos importantes que determinam nossa vida não são aqueles que a gente imagina. Não vem naquele sábado especial ao som do canto dos pássaros num cenário paradisíaco, e sim numa terça-feira qualquer e muitas vezes nublada quando seu telefone toca às 10 da manhã.

No dia em que conheci meu marido, eu não estava usando minha roupa mais bonita, não estava de maquiagem, tinha saído de casa sem expectativa alguma. Quase desisti quando cheguei na porta.

E olha só: foi ali, meio desorganizada, num dia mais ou menos, que conheci a pessoa que seria não apenas o pai dos meus filhos, mas que seria o meu companheiro de vida, de planos. A pessoa que anda ao meu lado sem nunca ter soltado minha mão e que um dia, alguns anos depois, passaria 75 noites dormindo num sofá de hospital ao meu lado sem reclamar, me animando e me carregando nas costas dia após dia.

No dia em que meus filhos nasceram, eu não tive tempo de planejar uma sessão de fotos, programar roupinhas de maternidade, não teve champagne estourado ou trilha sonora. E foi assim que chegaram aqueles que me transformaram e trouxeram um novo sentido não só para a minha vida, mas para a de toda a nossa família.

Minhas grandes perdas vieram também sem aviso prévio, aconteceram quando eu menos esperava. Mesmo que nada na vida pudesse ter me preparado para vivê-las, elas não me permitiram despedidas. Vieram e se foram como um furacão, deixando um buraco pra trás.

Os dias mais importantes das nossas vidas chegam sem aviso prévio. É a vida acontecendo, da sua forma, e não por não ser maravilhosa, mas por não existirem constantes ou momento ideal.

O meu conselho é: use aquela roupa especial, tire os talheres de prata do armário, não existe ocasião especial. Estar vivo e acordar todos os dias com saúde já é especial por si só.

Paula Drumond Setubal é advogada, mãe de gêmeos e produtora de conteúdo.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: