Durante pandemia Amazon tem o maior trimestre de vendas online de todos os tempos

iStock
iStock

Com a necessidade de ficar em casa, as compras online passaram a fazer parte da rotina das pessoas

O isolamento social trouxe impactos significativos para o varejo. Com a necessidade de ficar em casa, as compras online passaram a fazer parte da rotina das pessoas. Assim, para não perder lucro, muitas companhias aceleraram a transformação digital e começaram a vender pela internet. De acordo com o Compre&Confie, um software que monitora a segurança das compras online, o e-commerce brasileiro faturou cerca de R$ 9,4 bilhões em abril, o que gerou um aumento de 81% em relação ao mesmo período do ano passado.

Ainda de acordo com a companhia, a alta nos negócios reflete principalmente o aumento no número de pedidos realizados durante o mês. Ao todo, foram 24,5 milhões de compras online, sendo 98% a mais em relação a abril de 2019. Quando analisamos o mercado internacional, esses números também não são diferentes, afinal é visível o crescimento das vendas online.

A empresa norte-americana Amazon, no segundo trimestre de 2020 acumulou US$ 45,8 bilhões em vendas líquidas globais de lojas online, superando os US$ 45,7 bilhões gerados durante o quarto trimestre de 2019, que historicamente teria sido o maior em vendas da Amazon.

Assim como a Amazon, diversos negócios também tem a oportunidade de se reinventar e evoluir, por isso as lives e o desafio CF7 ajudam empreendedores a desenvolverem seus negócios, até mesmo nesses tempos de crise. Leia até o final para saber todas as informações!

O desenvolvimento da Amazon não deixou de acontecer em meio a pandemia, com a mudança no modo de consumo, a empresa conseguiu driblar a crise e gerar um crescimento de 49% nas vendas. O aumento na demanda da Amazon provavelmente deverá posicioná-la para expandir nos próximos anos em três áreas principais:

1) Assinatura Prime

Este foi um setor que prosperou no segundo trimestre, construindo uma base de clientes fiéis da Amazon. As taxas de renovação de membros Prime existentes na empresa melhoraram, sua taxa de crescimento acelerou e os seus clientes se envolveram mais com a Amazon, aumentando significativamente o tamanho de suas compras. Esse relacionamento com seus membros e a confiança existente, ajudou a empresa a impulsionar ainda mais as vendas futuras, já que sua base crescente de assinantes pode se acostumar a gastar mais com a Amazon, ajudando a empresa a combater seus concorrentes.

2) Vendas de Mantimentos

As vendas de mantimentos online da Amazon triplicaram anualmente no segundo trimestre, posicionando-a como um dos principais players no crescente mercado. Aumentando sua capacidade de entrega de supermercado em mais de 160% e triplicando o número de locais de coleta de produtos, em um esforço para atender o aumento no interesse do público pelo serviço online durante a pandemia. As vendas em expansão sugerem que seus esforços foram bem-sucedidos e podem tentar utilizar esse desempenho para adicionar clientes fiéis de mercearia online para competir com vendas online com fiéis como Walmart e empresas focadas no setor como a Instacart.

3) E-tailer

Os negócios internacionais do e-tailer (uma loja ou pessoa que faz negócios totalmente online) dispararam e deram lucro, pois podem estar ganhando mais força no exterior. O segmento internacional da Amazon registrou um lucro operacional de US$ 345 milhões, graças ao aumento de 41% nas vendas líquidas, após registrar um prejuízo operacional nos últimos anos.

Isso pode significar que a Amazon está atraindo novos clientes em outros mercados e gerando mais gastos com os clientes existentes durante a pandemia, configurando-o para conquistar mais vendas internacionalmente, mesmo após o desaparecimento da crise. O e-tailer investiu mais de US$ 4 bilhões para se ajustar à pandemia e precisará gastar ainda mais para atender à demanda no terceiro e quarto trimestres.

O segundo trimestre, em volume de varejo é tipicamente o mais fraco da Amazon, o que lhe deu espaço para expandir suas operações e lidar com o aumento da demanda no último trimestre. No entanto, para atender a demanda, será necessário expandir sua capacidade, o que exigirá novos investimentos em sua rede, visando realizar o atendimento dos pedidos com rapidez e segurança.

Além disso, desde 2006 a Amazon têm expandido seus serviços também para o streaming e a produção de conteúdo e entretenimento. Desde então, a plataforma vem crescendo ano após ano, e competindo páreo a páreo com grandes empresas do ramo.

Estudo elaborado pela Conviva, uma plataforma de monitoramento de streaming, a audiência desses serviços de audiovisual cresceu 20% desde o início da pandemia de coronavírus. Em outro estudo, pesquisadores concluíram que, em comparação ao primeiro trimestre de 2019, os três primeiros meses de 2020 apresentaram aumento de 79% em horas vistas de vídeos sob demanda.

Esse é um setor que está crescendo cada vez mais, e a Amazon não fica para trás quando se trata de inovação e qualidade. Por isso, essa é uma tendência em expansão, e que pode se tornar uma das frentes na empresa. Afinal, a inovação é um dos pilares da Amazon em todos os seus segmentos.

Você ainda não se inscreveu no Desafio CF7? Entre no meu instagram @CamilaFarani e entre no link disponível na bio, faça seu cadastro e participe de formações, por meio de lives, sobre como melhorar a imagem e também a administração do seu negócio.

Camila Farani é um dos “tubarões” do “Shark Tank Brasil”. É Top Voice no LinekdIn Brasil e a única mulher bicampeã premiada como Melhor Investidora-Anjo no Startup Awards 2016 e 2018. Sócia-fundadora da G2 Capital, uma butique de investimentos em empresas de tecnologia, as startups.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).