No ponto: Devo dizer que estou de férias ou estou em férias?

Com a chegada de julho, os dias de folga se tornam assunto recorrente e surge a dúvida: qual a forma correta de falar?

Cíntia Chagas
Compartilhe esta publicação:
Thomas Barwick/Getty Images
Thomas Barwick/Getty Images

Com a chegada de julho, muitas pessoas entram no período de férias. Isso traz a dúvida: qual a forma certa de falar?

Acessibilidade


Finalmente, as férias de julho estão chegando. Com elas, reaparece a pergunta de sempre: devo falar que estou de férias ou em férias? Mãos à obra, caríssimo leitor, que o assunto são as férias, mas o trabalho é meu.

Antes de tudo, devo salientar que o uso de preposições após verbos nem sempre segue uma lógica, pelo contrário. Trata-se muito mais de uma questão imposta pelo uso dos falantes do que de uma normatização em si. Vejamos: se o médico está de plantão, e a viúva está de luto, casos em que o “está de” indica situação, estar de férias parece a opção mais adequada, não é mesmo?

Entretanto, conforme mencionei, boa parte do que há de “regras” na língua portuguesa advém apenas do uso (a reforma ortográfica que nos diga). Logo, se a construção estar em férias é amplamente usada e divulgada nos meios mais intelectualizados, não vejo por que criar colóquios a respeito dessa variação, ainda que eu prefira a opção estar de férias.

Mas não se apresse, que eu tenho uma observação a fazer: caso você coloque um adjetivo depois da palavra férias, como ocorre em férias forçadas, férias coletivas, e férias merecidas, use a forma “estar em”. Estou em férias forçadas, em férias coletivas, em férias merecidas. O.k.? E boas férias, caso você as tenha.

Até semana que vem.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Cíntia Chagas é uma professora que sempre leva humor e conhecimento ao público. Escritora de dois best-sellers da editora HarperCollins, ela coleciona milhares de alunos nos cursos virtuais que ministra. Palestrante e instagrammer, provou que irreverência, humor e educação podem e devem andar juntos.

Os artigos assinados são de responsabilidade exclusiva dos autores e não refletem, necessariamente, a opinião de Forbes Brasil e de seus editores.

Compartilhe esta publicação: