Tomás Martins, da Tembici, fala sobre mobilidade na quarentena: “Tivemos que buscar soluções que antes eram impensáveis”

Mariana Pekin/Divulgação
Mariana Pekin/Divulgação

Tomás Martins, CEO da Tembici: “Muita resiliência”

“Obviamente, não tínhamos vivido nada parecido com o que a pandemia nos obriga a enfrentar. Mas, mais uma vez, a importância de reagir rápido exigiu de nós muita resiliência.

Ainda é muito cedo para estimarmos todos os impactos deste período de Covid-19, mas já é possível identificarmos aprendizados e, diversos deles, sem dúvidas, influenciarão em mudanças de gestão e estratégias dentro da companhia ao término desta fase.

O nosso maior desafio foi entender como uma empresa de mobilidade se posiciona quando a solução para o problema que vivemos é fazer com que (quase) tudo pare. Nossa missão sempre foi incentivar que as pessoas utilizassem bicicletas compartilhadas como modal de transporte em sua rotina, mas, neste momento, nossa energia está direcionada em fazer o oposto: estimular a população a ficar em casa.

Como startup, os cenários da Tembici sempre foram muito desafiadores e nos exigiam grande agilidade para adaptações. Isso fez com que, ao longo destes dez anos, a empresa tivesse uma alta capacidade de se adaptar rapidamente às situações.

Além de 100% dos colaboradores das áreas administrativas das nossas unidades do Brasil, Chile e Argentina, todo o nosso pessoal da central de atendimento, por exemplo, está trabalhando de casa. Isso antes da pandemia era impensável, mas foi num momento sem muitas opções, que fomos obrigados a encontrar soluções nunca consideradas e nos abre um horizonte de possibilidades para o futuro.

Diante disso, em parceria com o Itaú, rapidamente mudamos nosso posicionamento: abrimos mão do nosso #VaiDeBike por algumas semanas e reforçamos a importância de todos permanecerem em casa, desestimulando o uso da bicicleta e incentivando outras atividades como #VaiDeHomeOffice, #VaiDeCuidarDasPlantas e #VaiDeExercícioNaSala. Além disso, desde o início de abril, os usuários cadastrados que não utilizarem o sistema, ficarão isentos da cobrança dos planos do Bike Itaú.

Mesmo assim, sabemos que há pessoas que não têm a opção de ficar em casa. Por isso, mantivemos os nossos sistemas funcionando, já que além das bicicletas serem uma opção de transporte individual que permite evitar o uso do transporte coletivo, elas também estão servindo como uma opção para trabalhadores da linha de frente como especialistas da área da saúde e funcionários de supermercados, além dos profissionais de ciclologística.

Alinhados ao objetivo de garantir a disponibilidade das bikes para quem realmente precisa, firmamos uma parceria com a Prefeitura de Olinda (PE) em que as bicicletas do projeto Bike PE podem ser usadas gratuitamente pelos funcionários públicos de serviços essenciais da cidade até o fim do período da quarentena.

Aos nossos funcionários de Operações, área coração da nossa empresa, além de disponibilizarmos álcool em gel para recorrente higiene, revisitamos as escalas de trabalho possibilitando um rodízio eficiente de expediente e menor exposição ao vírus. Os nossos processos de higienização das bicicletas também foram reforçados, para além da rotina de limpeza padrão da operação.

Afinal, a transformação das cidades pode esperar, mas o cuidado de cada um de nós com nossa saúde, a de nossas famílias e da sociedade é urgente.”

****
Yuichiro Chino/Getty Images

Mercado de redes salva segmento de infra-estrutura de TI no Brasil

A expectativa de queda para o mercado de infraestrutura de TI no Brasil em 2020 é de 8,5% em comparação a 2019, mas veremos uma aceleração em vendas no segmento de redes, especialmente em roteadores para grandes operadoras, por conta da alta demanda de trabalho remoto durante o período de isolamento social. Esta é a previsão da empresa de análise de mercado IDC, que aponta o segmento de redes como o salvador do desempenho do segmento de infraestrutura.

Em 2019, o mercado de infraestrutura de TI desabou, com uma contração de vendas de 15,2%. As razões, segundo a IDC, foram a mudança de governo, que impactou os negócios principalmente no início do ano, e a expectativa da reforma da previdência. Com o adiamento das medidas, compradores no setor público e privado também postergaram as decisões de compra.

Apesar dos resultados ruins de forma geral, o mercado de redes teve destaque em infraestrutura também no ano passado, com alta de 4,4%. O segmento de aplicações de segurança – por conta da vindoura Lei Geral de Proteção de Dados – também contribuiu com alta de 3%, na comparação com 2018. O faturamento destas duas áreas, respectivamente, foi de US$ 659,9 milhões e US$ 219,7 milhões.

****
Divulgação

Claudia Leitte inaugura plataforma de conteúdo

A Esfera, empresa de fidelidade do Santander, anunciou o lançamento de uma plataforma de conteúdo com vídeos no Instagram e YouTube. Música, entrevistas, dicas de gastronomia, conteúdo fitness e de bem-estar são alguns dos temas a que os clientes terão acesso.

O programa, batizado de “Cada um na sua Esfera”, começou com lives de artistas e, agora, entra numa segunda fase, que além dos conteúdos ao vivo inclui vídeos para o público assistir quando e de onde quiser.

“Nesse momento, pensamos em uma maneira de gerar entretenimento para ajudar as pessoas a ficarem em casa. Mesmo quando o isolamento não for mais necessário, as pessoas poderão consumir os vídeos quando e onde quiserem”, explica Elaine Watanabe, superintendente de marketing, parcerias e CRM.

O lançamento dessa segunda etapa será marcado por um pocket show com Claudia Leitte, no domingo (19), na conta do Instagram @esferacomvc.

****
Divulgação

“Alexa, como sei se tenho coronavírus?”

A Alexa ganhou novas funcionalidades em tempos de pandemia para ajudar as pessoas a se manterem informadas e saudáveis. Com habilidades apoiadas por fontes confiáveis de informações, como o Ministério da Saúde e o Hospital Israelita Albert Einstein, a assistente virtual da Amazon verifica, por exemplo, o nível de risco e exposição à Covid-19 por meio das respostas a uma série de perguntas.

O objetivo é ajudar os usuários a decidirem, com base em informações, se devem procurar um centro médico ou ficar em casa e continuar verificando os sintomas. O autoteste de Alexa não substitui uma avaliação médica ou um diagnóstico e não recomenda tratamentos específicos.

Para iniciar o autoteste, basta dizer uma dessas frases: “Alexa, como sei se peguei a Covid-19?”; “Alexa, como sei se tenho o coronavírus?”; “Alexa, acho que peguei o coronavírus”; “Alexa, eu posso ter sido infectado com a Covid-19”; “Alexa, abra o autoteste para coronavírus”.

Outro recurso da assistente virtual é o aprendizado sobre a Covid-19, como formas de proteção e de prevenção, grupos de risco e até se os animais de estimação oferecem algum perigo. Essas interações são possíveis por meio de frases como “Alexa, abra perguntas sobre coronavírus” e “Alexa, abra perguntas sobre o coronavírus e animais domésticos”.

A Alexa pode, ainda, indicar a instituição de saúde pública mais próxima, por meio de informações fornecidas pelo Ministério da Saúde. Neste sentido, ela recomenda um hospital público ou posto de saúde na região onde o usuário está. Basta mencionar “Alexa, abra atendimento SUS” ou perguntar “Alexa, qual o posto de saúde/hospital mais próximo?”.

****

A Welcome Tomorrow – festival que há oito anos debate o futuro das cidades – terá uma edição extra em 2020 por conta das crises social, econômica, política e de saúde pública provocadas pela pandemia do novo coronavírus no Brasil. Esse será o primeiro evento a replicar 100% do formato original (presencial) no ambiente digital. Batizada de Festival Novo Mundo, a edição especial da Welcome Tomorrow, realizada pela GL events, será nos dias 28, 29 e 30 de abril, das 10h às 22h.

****

O IGTI está realizando um programa de cinco bootcamps para formar profissionais nas carreiras de desenvolvedor Salesforce, desenvolvedor full stack, analista de machine learning, analista de dados e analista de cibersecurity. Os bootcamps online contarão com 2.500 bolsas integrais, sendo 500 vagas para cada curso. Cada um deles tem duração de dois meses e carga horária de 148 horas. As inscrições estão abertas até o dia 26 de abril.

****
Getty Images

MAIS

– Para contribuir com a triagem dos pacientes que realmente necessitam de cuidados médicos em tempos de pandemia, a EMBRAPII (Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial) e a Baruq Sistemas e Consultoria estão desenvolvendo um aplicativo de orientação e atendimento remoto para casos suspeitos. Por meio dele, a pessoa com sintomas de gripe responderá a um questionário de autoavaliação. Caso o sistema a identifique como caso suspeito para Covid-19, ela será encaminhada para uma chamada de vídeo com um profissional de saúde que irá tirar dúvidas e orientar como proceder. O objetivo é evitar a automedicação e que as pessoas deixem suas casas desnecessariamente se expondo aos riscos de contágio. O projeto, avaliado em R$ 73 mil, será disponibilizado em breve para prefeituras e estados;

– A startup catarinense Resultados Digitais suspendeu sua conferência anual de marketing e vendas, o RD Summit, que aconteceria em outubro em Florianópolis. A pandemia da Covid-19 é a razão do cancelamento do evento, que atraiu mais de 12 mil pessoas em 2019. A empresa anunciou a decisão hoje (17) a todos os inscritos e todos os seus clientes, além de publicar uma carta nas redes sociais. A RD vai reembolsar integralmente o valor dos ingressos e dará prioridade a aqueles que compraram os ingressos na próxima edição do evento, prevista para 2021;

– A BlaBlaCar lançou globalmente esta semana o BlaBlaHelp, um aplicativo gratuito para ajudar as pessoas a fazer compras. O recurso poderá ser usado por membros da plataforma de caronas de longa distância e por pessoas que tenham interesse em ajudar. Basta baixar o app, entrar com a conta já existente da BlaBlaCar ou criar uma nova e de identificar como ajudante. Os membros que procuram ajuda ou conhecem alguém que o faça podem procurar por ajudantes em sua vizinhança, verificar o perfil desses usuários e se conectar a eles. “Quanto mais pessoas se declararem voluntárias para ajudar, mais útil o serviço se tornará e mais impacto todos nós podemos ter como comunidade”, diz Nicolas Brusson, CEO e cofundador da BlaBlaCar;

– A IBM anunciou esta semana o lançamento do Open P-TECH, uma plataforma com conteúdos de educação digital gratuitos. O objetivo é equipar jovens e educadores com competências tecnológicas fundamentais em áreas como segurança cibernética, inteligência artificial e computação em nuvem, além de outras habilidades profissionais valorizadas no mercado de trabalho. A iniciativa foi selecionada pela Fundação Bradesco para proporcionar aos seus alunos do ensino médio esse material de forma online;

– A Rio2C, conferência de inovação e criatividade anual que ocorre no Rio de Janeiro, anunciou uma série de iniciativas online para substituir a versão física do encontro, que aconteceria entre 5 e 10 de maio no Rio de Janeiro. O lançamento do Rio2C @LIVE, que será no mês de maio, engloba a conferência virtual gratuita e ao vivo, entre os dias 4 e 8, com 35 painéis e mais de 100 palestrantes locais e internacionais. De 11 a 15 e de 18 a 22, o evento promove reuniões de negócios virtuais para o setor do audiovisual, e de 25 a 29, acontecem reuniões de negócios virtuais com o objetivo de promover a conexão entre startups e investidores;

– A LLamasoft, fornecedora de soluções analíticas com foco em tomada de decisões estratégicas e baseada em inteligência artificial, anunciou Max Mascarenhas como seu novo vice-presidente de vendas para a América Latina. O executivo, que é engenheiro por formação, ficará baseado no Texas, Estados Unidos, e chega para alavancar estratégias e novos projetos;

– A BMZ Auto Brokers, plataforma que conecta concessionárias digitais de veículos usados e seminovos com atuação nacional, constatou um crescimento de 11% nas buscas durante o período de isolamento. A empresa, criada por Marcio Leitão, cobra 6% sobre o valor da venda, apenas se o negócio for fechado. A estimativa é que até dezembro deste ano o faturamento atinja R$ 7,84 milhões e sejam negociados 51 mil veículos até 2024, movimentando um volume de R$ 3,3 bilhões.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).