Ibovespa atinge máxima desde março com alívio sobre vídeo

Amanda Perobelli/Reuters
Giro financeiro somou R$ 21,27 bilhões, ante média diária no mês de R$ 25,5 bilhões

O Ibovespa teve forte alta e fechou na máxima em mais de dois meses hoje (25), sem a referência de Wall Street por feriado nos EUA, em dia também de certo alívio após a divulgação do vídeo da reunião ministerial de Jair Bolsonaro.

No mercado, prevaleceu a percepção de que o vídeo da reunião do dia 22 de abril, divulgado no âmbito de investigação sobre suposta interferência de Bolsonaro na Polícia Federal, não trouxe nada de novo em relação ao tema.

VEJA TAMBÉM: Ibovespa fecha em queda, mas sobe em semana volátil com exterior, política e balanços

Índice de referência no mercado acionário brasileiro, o Ibovespa disparou 4,25%, a 85.663,48 pontos, maior patamar desde 11 de março. O giro financeiro somou R$ 21,27 bilhões, ante média diária no mês de R$ 25,5 bilhões.

“Investidores aproveitaram o feriado nos EUA, a Europa otimista com sinais de retomada e reabertura das economias e adicionaram risco às suas carteiras de investimentos”, observou o analista Régis Chinchila, da Terra Investimentos.

Esse movimento, segundo ele, refletiu o alívio após a divulgação do vídeo da reunião ministerial, que não trouxe elementos que possam alimentar ainda mais a tensão política.

“O foco principal é que a gravação não parece ser vista como uma ‘bala de prata’ capaz de embasar um processo que custe o mandato presidencial de Bolsonaro.”

Chinchila ainda ressaltou que alguns ativos se destacaram, com reversão de posições vendidas durante as últimas tensões no mercado causadas pela Covid-19, política e impactos econômicos. “Acreditamos que seja uma reprecificação em algumas empresas, mas para os próximos dias ainda aguardamos alta volatilidade.”

Pela análise gráfica do Fernando Goes, da Clear Corretora, o mercado rompeu a máxima do dia 29/04 (+2,29%, 83.170 pontos), primeira máxima pós Covid-19. Para ele, esse movimento mostra que o mercado caminha para os 90 mil pontos, como esperado.

E AINDA: Dólar cai 1% e vai às mínimas desde abril

“Acreditamos que ele possa chegar até próximo de 95 mil pontos, pois no curto prazo já há uma pequena tendência de alta sendo considerada.”

Destaques>/h3>

– BANCO DO BRASIL ON disparou 10,49%, liderando ganhos dos bancos, ante especulações sobre a privatização após divulgação de video da reunião ministerial. No setor, ITAÚ UNIBANCO PN subiu 4,36% e BRADESCO PN avançou 7,09%.

– PETROBRAS PN valorizou-se 4,34%, sem pressão negativa dos preços do petróleo no mercado externo. PETROBRAS ON ganhou 4,2%. Comentários do presidente da estatal, Roberto Castello Branco, também estiveram no radar.

– VALE ON cedeu 0,34%, na esteira da forte queda do dólar ante o real, que atingiu também outras exportadoras, como SUZANO ON, que recuou 2,36%.

– VIA VAREJO ON saltou 15,57%. B2W ON avançou 2,62%. MAGAZINE LUIZA, que divulga resultado nesta noite, subiu 4,77%.

– MARFRIG ON perdeu 2,61%, na esteira da queda do dólar. A empresa informou que 25 funcionários de sua unidade de Várzea Grande testaram positivo para o coronavírus. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).