Ibovespa fecha em queda com petróleo e quadro fiscal, mas e-commerce atenua perda

ReutersAmanda-Perobelli
ReutersAmanda-Perobelli

O volume financeiro somou R$ 21,7 bilhões

O Ibovespa fechou em baixa hoje (6), marcado por falta de apetite ao risco e queda do petróleo no exterior, além de receios com o cenário fiscal no país, em meio a um ambiente ainda de incertezas com a pandemia de Covid-19. A perda, contudo, foi amenizada pela disparada de ações de e-commerce e os papéis de mineração e siderurgia.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa caiu 0,51%, a 79.063,68 pontos, após chegar a 79.996,04 pontos na máxima e recuar à 78.055,82 pontos na mínima. O volume financeiro somou R$ 21,7 bilhões.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Na visão da equipe de análise técnica do Itaú BBA, o Ibovespa precisa superar a resistência inicial em 81.000 pontos para retomar o movimento de alta em direção à máxima deixada na última semana, de 83.600 pontos, conforme relatório a clientes.

A sessão teve de pano de fundo a decisão da Fitch de ontem (5) de cortar para “negativa” a perspectiva do rating do Brasil, citando que a deterioração econômica e fiscal e ruídos políticos podem afetar a capacidade do governo de ajustar as contas públicas e implementar reformas após a pandemia.

O corte ocorreu no mesmo dia em que a Câmara dos Deputados aprovou o projeto de auxílio a Estados e municípios, com repasses de R$ 60 bilhões e suspensão de dívidas que elevam o impacto total a, aproximadamente, R$ 120 bilhões. O projeto, que sofreu alterações, segue para o Senado.

“A alteração da Câmara no projeto de socorro aos Estados denota a volatilidade política e, ao ampliar os servidores sem corte de salário, indica menos compromisso com impacto nas contas”, observou a Tullett Prebon Brasil, em nota a clientes.

Notícias corporativas, como os balanços e previsões de Gerdau e Telefônica Brasil, também ocuparam as atenções na sessão.

Para a equipe do BTG Pactual, o momento ainda é de muita cautela e incertezas no Brasil, onde veem a expectativa de crescimento nos próximos anos se reduzindo a cada dia, enquanto avaliam que a saída da quarentena deverá ser mais lenta e mais longa do que o esperado.

“Fica a dúvida quanto o atual patamar de preços que está já precificando essa saída ou até uma recuperação”, observou a equipe do banco em nota a clientes enviada pela área de gestão do banco.

Wall Street teve uma sessão volátil e o S&P 500 fechou em baixa de 0,7%. Dados mostraram que os empregadores do setor privado dos Estados Unidos demitiram um recorde de 20.236 milhões de trabalhadores em abril. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).