JetBlue tem prejuízo no 1° tri; revisa pedidos da Airbus para economizar US$ 1,1 bi

Companhia registrou perda de US$ 268 milhões, ante lucro de US$ 42 milhões no ano anterior.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Forbes
Forbes

Prejuízo de US$ 268 milhões veio principalmente da queda em demanda causada pela pandemia

Acessibilidade


A JetBlue Airways divulgou hoje (07) um prejuízo trimestral US$ 268 milhões, conforme a pandemia de coronavírus atinge a demanda por viagens aéreas, e revisou sua carteira de pedidos com a Airbus para economizar US$ 1,1 bilhão em gastos com aeronaves até 2022.

Desde que os casos do novo coronavírus começaram a acelerar em março, a demanda de viagens aéreas nos EUA caiu cerca de 95%, forçando as companhias a mudar seu foco de planos de crescimento para estacionar aeronaves e minimizar a queima de capital.

LEIA MAIS: Air France-KLM tem forte prejuízo no 1º trimestre

Embora o número total de reservas tenha sido “extremamente limitado”, a JetBlue disse acreditar que a demanda atingiu seu pior momento por volta de meados de abril e espera ter uma melhor noção do terceiro e quarto trimestres no início do verão do hemisfério norte.

Após medidas para aumentar liquidez, a JetBlue espera que sua queima diária de caixa caia para pouco menos de US$ 10 milhões em maio, contra uma média de US$ 18 milhões na segunda quinzena de março, excluindo o auxílio do governo.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A companhia aérea deve receber US$ 936 milhões em assistência do governo para folha de pagamento, que proíbe as empresas de reduzir a força de trabalho até 30 de setembro e disse que pediu empréstimo adicional de até US$ 1,14 bilhão que pode ser usado se necessário.

A receita caiu 15,1% no primeiro trimestre em relação ao mesmo período do ano anterior, incluindo queda de 52% em março, quando a pandemia atingiu a demanda e o valor das passagens.

O prejuízo foi de US$ 268 milhões no trimestre, ante lucro de US$ 42 milhões no ano anterior.

Excluindo itens especiais, o prejuízo líquido foi de US$ 116 milhões ou 0,42 dólar por ação.

(com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Tenha também a Forbes no Google Notícias

Compartilhe esta publicação: