Lucro da Equatorial Energia salta para R$ 1,3 bilhão no 4º trimestre

Reuters
Em termos ajustados, excluindo efeitos não recorrentes, o lucro líquido da Equatorial Energia somou R$ 715 milhões

A Equatorial Energia teve lucro líquido de R$ 1,312 bilhão no quarto trimestre de 2019, mais do que triplicando o resultado apurado um ano antes, conforme dados disponíveis na Comissão de Valores Mobiliários (CVM) hoje (23).

O desempenho operacional medido pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) aumentou quase 100%, para R$ 2,367 bilhões, impactado pela prática contábil do IFRIC 15 aplicável aos novos ativos de transmissão e crescimento do Ebitda da Equatorial Piauí e Equatorial Alagoas.

VEJA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Em termos ajustados, excluindo efeitos não recorrentes, o lucro líquido somou R$ 715 milhões, de R$ 290 milhões no mesmo período de 2018, influenciado pelo reconhecimento de resultados dos projetos de transmissão. O Ebitda ajustado quase dobrou, para R$ 1,244 bilhão.

A receita operacional líquida da Equatorial somou R$ 6,185 bilhões no quarto trimestre do ano passado, alta de mais de 60% ano a ano.

A dívida líquida consolidada da Equatorial totalizava R$ 10,6 bilhões nos últimos três meses de 2019, implicando numa relação dívida líquida/Ebitda de 2,8 vezes, de 3,3 vezes no final de 2018.

Ajustada pelas participações da Equatorial em suas controladas, a dívida líquida totalizava, em 31 de dezembro R$ 9,9 bilhões, equivalente a uma dívida líquida/Ebitda proporcional de 2,6 vezes.

A companhia comentará o resultado em teleconferência com na segunda-feira (25), às 11h (horário de Brasília). (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).