Mercado de crédito dá sinais de alerta

GettyImages/ Yellow Dog Productions
Relatório do Banco Central mostra que há risco de a ajuda não chegar aos pequenos empresários

Em nota de crédito do Banco Central, os dados de abril mostraram que as concessões de crédito não avançaram como esperado pelos investidores. O risco é que os recursos não cheguem aos pequenos e médios empresários.

O Banco Central do Brasil apresentou os dados do mercado de crédito de abril, e as concessões ficaram aquém do esperado. O risco é que todo o esforço da instituição monetária para estimular o mercado, de modo que os pequenos negócios consigam se manter durante o isolamento, seja frustrado.

Ao fazer a conexão com o mercado financeiro, vemos que grandes empresas estão conseguindo se financiar. Ligando os pontos, existe sim o risco que os bancos estejam represando recursos, liberando apenas para grandes companhias. O risco é uma onda de recuperações judiciais como nunca vista antes no Brasil.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

As concessões totais de crédito somaram R$ 296 bilhões em abril. Na série com ajuste sazonal, houve redução de 16,5% em relação ao mês anterior, fruto de variações de – 21,1% nas empresas e de – 13,2% nas famílias.

Nos Estados Unidos, houve uma primeira onda de demissões muito forte e, após a retomada, estamos vendo uma nova. O risco de o Brasil repetir esse cenário é muito grande: as empresas abrem as portas, os consumidores não aparecem e elas decidem encerrar as atividades de vez.

Um ponto que vale a pena comentar é que o relatório também aponta que a taxa média de juros das operações contratadas em abril alcançou 21,5% a.a., com quedas de 1,2 p.p. no mês e de 3,5 p.p. em 12 meses. O spread geral das taxas de juros das concessões situou-se em 17,2 p.p., com declínios de 0,8 p.p. e 1,6 p.p. nos mesmos períodos.

Uma relação direta com os movimentos recentes do Banco Central, que reduziu a taxa básica de juros e ainda sinalizou que continuará o movimento em junho. Particularmente, acreditamos que essas taxas deverão permanecer muito baixas por um longo período.

Para um empresário que se encontra em dificuldades, o conselho seria: informe-se e negocie ao máximo com os bancos para aliviar a situação atual.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).