Apresentado por       

Reino Unido anuncia novo regime tarifário global pós-Brexit

Novas tarifas entrará em vigor a partir de janeiro de 2021.

Redação
Apresentado por       
Compartilhe esta publicação:
Reuters
Reuters

Liz Truss, ministra do Comércio do Reino Unido

Acessibilidade


O Reino Unido anunciou hoje (19) um novo regime tarifário pós-Brexit para substituir a tarifa externa da União Europeia, mantendo uma tarifa de 10% sobre carros mas cortando impostos sobre dezenas de bilhões de dólares em importações da cadeia de suprimentos.

Após décadas terceirizando sua política comercial para a UE, o Reino Unido está buscando acordos de livre comércio com países de todo o mundo e pretende ter pactos que abranjam 80% do comércio britânico até 2022.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O novo regime tarifário, que entrará em vigor a partir de janeiro de 2021, marca uma retirada do que algumas autoridades britânicas chamam de sistema excessivamente complexo da UE, estabelecendo a posição do Reino Unido ao negociar acordos comerciais com os Estados Unidos e o bloco europeu.

Mas isso significa que, se o Reino Unido e a UE não conseguirem chegar a um acordo de livre comércio até o final do ano, os preços de alguns alimentos, carros e alguns insumos químicos importados do bloco aumentarão acentuadamente.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

O Reino Unido disse que o regime, conhecido como Tarifa Global do Reino Unido, será mais simples e mais barato que a Tarifa Externa Comum da UE. É aplicável a países com os quais não há acordo e remove todas as tarifas abaixo de 2%.

“Nossa nova tarifa global beneficiará os consumidores e as famílias do Reino Unido, reduzindo a burocracia e reduzindo o custo de milhares de produtos do dia a dia”, disse a secretária de Comércio Internacional britânica, Liz Truss. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: