Taesa tem lucro líquido de R$ 364,2 milhões no 1º trimestre

A empresa afirmou que o resultado foi impulsionado pelos maiores investimentos e pelo aumento dos índices de inflação

A transmissora de energia Taesa registrou lucro líquido de R$ 364,2 milhões no primeiro trimestre de 2020, avanço de 128,2% em relação ao mesmo período do ano passado, informou a companhia ontem (14).

A empresa afirmou que o resultado foi impulsionado pelos maiores investimentos e pelo aumento dos índices de inflação, destacando o balanço como “sólido” em meio à crise causada pela pandemia de coronavírus.

LEIA MAIS: Taesa prevê investimentos de até R$ 1,8 bi entre 2019 e 2022

“É importante destacar que… as 39 concessões da companhia possuem contratos de longo prazo com receitas fixas, reajustadas pela inflação e baseadas no desempenho e disponibilidade das linhas e subestações de transmissão”, disse a Taesa, acrescentando que a disponibilidade atingiu 99,98% no período.

Os lucros antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) da transmissora no primeiro trimestre foram de R$ 312,7 milhões, crescimento de 0,6% no ano a ano.

A empresa se disse “comprometida a investir no seu crescimento” mesmo com o cenário da pandemia, acrescentando que realizou aportes de R$ 331,5 milhões no trimestre, contra R$ 82,1 milhões investidos na companhia em igual período de 2019, e segue trabalhando para entregar sete empreendimentos em construção.

A Taesa informou ainda que encerrou o trimestre com uma posição de caixa de R$ 1,7 bilhão, queda de 30,8% na comparação com o quarto trimestre de 2019, após o pagamento das aquisições dos projetos de São João, São Pedro e Lagoa Nova.

A dívida líquida teve salto de 42% no trimestre, atingindo R$ 4,03 bilhões, o que deixa o índice dívida líquida/Ebitda em 3 vezes, ante 2,2 vezes ao final de 2019. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).