Trump x China e medo de 2ª onda de coronavírus marcam semana no mercado financeiro

Aly Song/Reuters
Aly Song/Reuters

Conflito entre China e Estados Unidos afetou negativamente as economias do mundo inteiro

Quando 2020 começou e as negociações comerciais entre China e Estados Unidos avançaram, muitos investidores respiraram aliviados. Primeiro, porque o conflito afetou negativamente as economias do mundo inteiro. Segundo, pois o assunto estava extremamente repetitivo.

Após cinco meses, estamos novamente escrevendo que autoridades, dos dois países, deram alguma declaração negativa sobre o oponente na mídia. A tendência é que Donald Trump construa sua narrativa de campanha eleitoral em torno do tema. Culpará a China por todo o dano econômico que os Estados Unidos estão enfrentando. Reafirmará a necessidade de um político que os confronte, para evitar novos surtos. Vale um parênteses, foi entre os EUA e México que surgiu o surto de H1N1 de 11 anos atrás.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Outro tema relevante da semana foram as notícias de países reabrindo economias, e, infelizmente, com alguns deles tendo o número de casos de coronavírus saltando.

Ainda, o presidente do Fed, Jerome Powell, movimentou os mercados ao traçar uma trajetória bem complicada de recuperação econômica mundial para frente. Abafando a voz daqueles que acreditam que as economias voltarão ao normal com a reabertura.

No Brasil, novamente a crise política foi o centra das atenções. A questão envolvendo o presidente, Jair Bolsonaro, e o ex-ministro da Justiça, Sergio Moro, ganhou novos capítulos, com o depoimento de Moro, outros ministros, e ainda mais pessoas. Também fez barulho a transcrição do vídeo em que o presidente teria feito o pedido de intervenção na Polícia Federal.

Não tivemos nenhum avanço em termos de agenda de reformas. A discussão atual limita-se a contenção de danos. Então, os investidores reagem positivamente quando vemos a chance do presidente vetar trechos que provocarão grandes danos fiscais ao Brasil.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).