Preços do petróleo caem e Brent toca US$ 40 por estoques recorde e temores por Covid

Getty Images
Getty Images

Os preços do petróleo recuavam após uma queda de mais de 5% anterior, em meio a estoques recorde nos Estados Unidos e uma retomada do coronavírus

Os preços do petróleo recuavam hoje (25), após uma queda de mais de 5% na sessão anterior, em meio a estoques recorde nos Estados Unidos e uma retomada em casos de coronavírus que joga dúvidas sobre a recuperação na demanda por combustíveis.

Os estoques de petróleo nos EUA subiram em 1,4 milhão de barris, disse a Administração de Informação de Energia ontem (24). O dado impactou os preços do petróleo, embora outros detalhes do relatório da AIE, como queda nos estoques gasolina devido à alta na demanda, tenham oferecido algum apoio.

VEJA TAMBÉM: Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, e fique por dentro de tudo sobre empreendedorismo

O petróleo Brent recuava US$ 0,29, ou 0,72%, a US$ 40,02 por barril, às 8:19 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía US$ 0,47, ou 1,24%, a US$ 37,54 por barril.

O Brent chegou a tocar mínima de US$ 39,47 mais cedo na sessão.

“O relatório (sobre estoques) foi mais um prego no caixão dos altistas, embora não tenha sido tão deprimente quanto a queda nos preços sugere”, disse Tamas Varga, da corretora de petróleo PVM. “Pelo lado positivo, o consumo de petróleo está saudável.”

Tanto o petróleo quanto ações foram pressionados pelo crescimento nos casos de coronavírus. Houve aumento nas infecções em alguns Estados dos EUA e a Austrália registrou o maior aumento diário de casos em dois meses.

“A demanda, que deveria crescer à medida que a Covid-19 desaparece, está novamente ameaçada, com infecções aumentando em mercados-chave”, disse Bjornar Tonhaugen, da Rystad Energy. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).