Chevron tem prejuízo de US$ 8,3 bi no 2º tri com baixas de ativos e demissões

Reprodução Forbes
Reprodução Forbes

Petroleira teve baixas de US$ 5,6 bilhões em ativos de produção de óleo e gás

A petroleira Chevron reportou hoje (31) um prejuízo de US$ 8,3 bilhões no segundo trimestre, impactada pela reavaliação do valor de ativos em função da queda dos preços dos combustíveis, pela saída forçada da Venezuela e por gastos relacionados a milhares de demissões.

Reavaliações de ativos multibilionários se tornaram uma parte importante dos resultados do segundo trimestre no setor de energia, depois de a pandemia de Covid-19 afetar a demanda por combustíveis e gerar um enorme excesso de oferta em todo o mundo.

Leia mais: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

Mas as baixas também refletem uma percepção cada vez maior de que a desaceleração econômica pode deprimir os preços da energia por vários anos. Rivais da Chevron, como Total, Shell e Eni, promoveram reavaliações de bilhões de dólares em ativos, enquanto a BP registrou um corte de US$ 17,5 bilhões no período.

A Chevron teve baixas de US$ 5,6 bilhões em ativos de produção de óleo e gás, incluindo todo o seu investimento na Venezuela, onde vinha sendo a última grande petroleira norte-americana a manter operações. O governo Donald Trump pediu diretamente que a empresa se retirasse do país.

Leia também: Gol tem prejuízo de quase R$ 2 bilhões no 2º trimestre

O prejuízo também inclui gastos de US$ 1 bilhão em seguros para os cerca de 6.700 trabalhadores que deixaram a empresa em meio à reestruturação global dos negócios. A equipe da Chevron possui cerca de 45 mil funcionários.

“Serão anos para que a economia se recupere, e os preços dos nossos produtos estão relacionados à atividade econômica”, disse em entrevista o diretor financeiro da Chevron, Pierre Breber, referindo-se à queda de 32,9% no PIB dos EUA no trimestre. Ele acrescentou que a empresa pretende continuar restringindo os gastos em novos projetos. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).