Dólar sobe, mas fecha julho com maior queda mensal do ano

ReutersConnect/Hafidz Mubarak
ReutersConnect/Hafidz Mubarak

Moeda norte-americana à vista teve alta de 1,15%, a R$ 5,2185 na venda

O dólar fechou em firme alta ante o real hoje (31), mas ainda acumulou no mês a maior queda do ano, puxado pelo enfraquecimento generalizado da moeda norte-americana em julho em meio à farta liquidez e a dúvidas sobre a superioridade da recuperação norte-americana ante outras economias.

Nesta sexta-feira, o dólar à vista subiu 1,15%, a R$ 5,2185 na venda. Em julho, a moeda caiu 4,07%, maior baixa mensal desde dezembro de 2019 (-5,37%). Em 2020, a cotação ainda sobe 30,04%, o que deixa o real com o pior desempenho global no período.

Leia mais: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

No exterior, o índice do dólar frente a uma cesta de moedas saltava 0,7%, variação relevante para o índice, com o mercado realizando lucros depois de um mês praticamente inteiro de quedas. Incertezas sobre pacote de ajuda fiscal nos EUA também pesavam sobre ativos de risco, como moedas emergentes, grupo do qual o real faz parte.

De maneira geral, o cenário ainda é turvo, mas não se espera que o real volte a sofrer depreciações como a que levou a moeda para perto de R$ 6 por dólar em meados de maio.

Leia também: Gol tem prejuízo de quase R$ 2 bilhões no 2º trimestre

“Esperamos que a moeda negocie dentro de um intervalo entre R$ 5 e R$ 5,50”, disseram analistas do Bank of America em relatório. “Esperamos que o banco central continue intervindo para mitigar a volatilidade e que a taxa de câmbio permaneça fraca para refletir elevado prêmio de risco em meio ao cenário macroeconômico frágil e às baixas taxas de juros”, concluíram. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).