GPA lucra 20% menos no 2º tri afetado por operações descontinuadas

Forbes
Forbes

O GPA teve lucro líquido consolidado das operações no Brasil, Argentina, Colômbia e Uruguai de R$ 333 milhões de abril a junho

O GPA teve queda de 20,3% no lucro líquido do segundo trimestre, impactado por operações descontinuadas, apesar de crescimento expressivo nas vendas em meio à pandemia do novo coronavírus.

Dono das bandeiras Pão de Açúcar, Assaí e Extra, o grupo varejista teve lucro líquido consolidado das operações no Brasil, Argentina, Colômbia e Uruguai de R$ 333 milhões de abril a junho, segundo balanço divulgado ontem (29).

LEIA MAIS: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

Excluindo as operações da Via Varejo, na qual o GPA vendeu sua participação em meados do ano passado, o lucro líquido subiu para R$ 274 milhões ante R$ 65 milhões no segundo trimestre de 2019.

Em novembro, a controladora do GPA, o grupo francês Casino, concluiu uma reorganização societária de seus ativos na América Latina em que o GPA incorporou o grupo colombiano Almacenes Éxito.

Com isso, a receita bruta consolidada do GPA saltou 61,1% no segundo trimestre, para R$ 22,9 bilhões, dos quais R$ 17,08 bilhões vieram do Brasil. As vendas brutas subiram 26,4% na rede de atacarejo Assaí e 13,6% na unidade chamada “multivarejo”, que envolve as bandeiras Extra, Pão de Açúcar e Compre Bem.

As operações de comércio eletrônico dispararam 272% sobre o segundo trimestre do ano passado, como efeito do isolamento social.

Já os custos gerais, com vendas e administrativos, bem como as despesas financeiras saltaram mais de 50%, enquanto gastos com depreciação e amortização, incluindo logística, dispararam mais de 70%.

A captação de recursos para aquisição do Éxito elevou a dívida líquida do GPA para cerca de R$ 9,5 bilhões ao fim de junho ante R$ 1,4 bilhão um ano antes.

VEJA TAMBÉM: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) cresceu 83,2%, para R$ 1,54 bilhão, e a margem Ebitda ajustada passou de 6,6% para 7,6%.

As ações do GPA avançaram quase 11% até agora em julho, enquanto os papéis do rival Carrefour Brasil subiram quase 13%. Na segunda-feira (27), o Carrefour Brasil divulgou alta de quase 76% no lucro líquido, impulsionado por vendas maiores e controles de custos, citando expectativas de forte desempenho no terceiro trimestre por conta das vendas já registradas em julho. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).