Ibovespa segue exterior e fecha em alta com ânimo sobre vacina

Na sessão, Sabesp saltou 8% após sanção presidencial do marco regulatório do saneamento básico

Redação
Compartilhe esta publicação:
Gettyimages
Gettyimages

O volume financeiro somou R$ 28,6 bilhões

Acessibilidade


O Ibovespa fechou em alta de mais de 1% hoje (15), embalado pelo clima positivo nos mercados no exterior em meio a sinais promissores sobre o desenvolvimento de vacina contra a Covid-19, com Sabesp entre os maiores ganhos, após sanção do novo marco regulatório do saneamento no país.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa terminou com acréscimo de 1,34%, a 101.790,54 pontos, nova máxima desde março. No melhor momento da sessão, chegou a 102.113,51 pontos. Na mínima do dia, marcou 100.444,28 pontos.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O volume financeiro somou R$ 28,6 bilhões, em sessão também marcada pelo vencimento dos contratos de opções do Ibovespa.

A bolsa paulista abriu já sob efeito positivo dos mercados no exterior após notícia de que a vacina experimental para o novo coronavírus produzida pela norte-americana Moderna provocou respostas seguras em todos os 45 voluntários saudáveis, de acordo com estudo em etapa inicial.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

Investidores agora aguardam dados de testes clínicos em estágio inicial em humanos de vacina que está sendo desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford previstos para segunda-feira.

Em Wall Street, a trajetória de alta ainda encontrou respaldo no lucro acima do esperado do Goldman Sachs, bem como em dados econômicos mais fortes e no Livro Bege do Federal Reserve. O S&P 500 subiu 0,9%.

No documento, o banco central dos Estados Unidos relatou que empresas norte-americanas viram aumento na atividade no início de julho, à medida que os Estados reduziram as restrições que visavam conter a nova pandemia de coronavírus.

Na visão de Bruno Madruga, chefe de renda variável da Monte Bravo Investimentos, o Livro Bege foi um dado importante que ajudou na alta. “Isso realmente é positivo para os mercados”, afirmou, ponderando, contudo, que ainda há muitas incertezas, com o aumento de casos de Covid-19 nos EUA ainda no radar.

Madruga disse, porém, que permanece otimista em relação à bolsa brasileira, uma vez que não se vê nenhum sinal de elevação da taxa de juros. A queda da Selic para níveis extremamente baixos tem sido apontada como um dos principais fatores para a forte recuperação do Ibovespa nos últimos meses.

No Brasil, o Ministério da Economia manteve sua projeção de queda para o PIB em 2020 de 4,7%, citando a melhoria dos indicadores, reflexo do “efeito positivo das políticas adotadas até então”. E, segundo o secretário de Política Econômica, quem fez projeções de queda do PIB acima de 6,5% para o Brasil terá que rever o número “com razoável grau de certeza”.

VEJA TAMBÉM: Real volta ser destaque negativo apesar de bom humor externo

O destaque do dia fica com a Sabesp, que saltou 8,06%, após sanção presidencial do marco regulatório do saneamento básico, embora com 11 vetos, o que deve abrir caminho para o aumento da presença da iniciativa privada sobre o setor que hoje depende praticamente de entes estatais. O analista Vitor Sousa, da Genial Investimentos, vê a Sabesp como o principal nome no caminho de uma privatização, dada a clara intenção do governador de São Paulo de privatizar a empresa além de uma relação risco versus retorno interessante. No setor de saneamento, fora do Ibovespa, a paranaense Sanepar Unit avançou 6,56% e a mineira Copasa fechou com elevação de 4,39%. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo: .

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: