Ibovespa segue exterior e fecha em alta com ânimo sobre vacina

Gettyimages
Gettyimages

O volume financeiro somou R$ 28,6 bilhões

O Ibovespa fechou em alta de mais de 1% hoje (15), embalado pelo clima positivo nos mercados no exterior em meio a sinais promissores sobre o desenvolvimento de vacina contra a Covid-19, com Sabesp entre os maiores ganhos, após sanção do novo marco regulatório do saneamento no país.

Índice de referência do mercado acionário brasileiro, o Ibovespa terminou com acréscimo de 1,34%, a 101.790,54 pontos, nova máxima desde março. No melhor momento da sessão, chegou a 102.113,51 pontos. Na mínima do dia, marcou 100.444,28 pontos.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

O volume financeiro somou R$ 28,6 bilhões, em sessão também marcada pelo vencimento dos contratos de opções do Ibovespa.

A bolsa paulista abriu já sob efeito positivo dos mercados no exterior após notícia de que a vacina experimental para o novo coronavírus produzida pela norte-americana Moderna provocou respostas seguras em todos os 45 voluntários saudáveis, de acordo com estudo em etapa inicial.

Investidores agora aguardam dados de testes clínicos em estágio inicial em humanos de vacina que está sendo desenvolvida pela AstraZeneca e pela Universidade de Oxford previstos para segunda-feira.

Em Wall Street, a trajetória de alta ainda encontrou respaldo no lucro acima do esperado do Goldman Sachs, bem como em dados econômicos mais fortes e no Livro Bege do Federal Reserve. O S&P 500 subiu 0,9%.

No documento, o banco central dos Estados Unidos relatou que empresas norte-americanas viram aumento na atividade no início de julho, à medida que os Estados reduziram as restrições que visavam conter a nova pandemia de coronavírus.

Na visão de Bruno Madruga, chefe de renda variável da Monte Bravo Investimentos, o Livro Bege foi um dado importante que ajudou na alta. “Isso realmente é positivo para os mercados”, afirmou, ponderando, contudo, que ainda há muitas incertezas, com o aumento de casos de Covid-19 nos EUA ainda no radar.

Madruga disse, porém, que permanece otimista em relação à bolsa brasileira, uma vez que não se vê nenhum sinal de elevação da taxa de juros. A queda da Selic para níveis extremamente baixos tem sido apontada como um dos principais fatores para a forte recuperação do Ibovespa nos últimos meses.

No Brasil, o Ministério da Economia manteve sua projeção de queda para o PIB em 2020 de 4,7%, citando a melhoria dos indicadores, reflexo do “efeito positivo das políticas adotadas até então”. E, segundo o secretário de Política Econômica, quem fez projeções de queda do PIB acima de 6,5% para o Brasil terá que rever o número “com razoável grau de certeza”.

VEJA TAMBÉM: Real volta ser destaque negativo apesar de bom humor externo

O destaque do dia fica com a Sabesp, que saltou 8,06%, após sanção presidencial do marco regulatório do saneamento básico, embora com 11 vetos, o que deve abrir caminho para o aumento da presença da iniciativa privada sobre o setor que hoje depende praticamente de entes estatais. O analista Vitor Sousa, da Genial Investimentos, vê a Sabesp como o principal nome no caminho de uma privatização, dada a clara intenção do governador de São Paulo de privatizar a empresa além de uma relação risco versus retorno interessante. No setor de saneamento, fora do Ibovespa, a paranaense Sanepar Unit avançou 6,56% e a mineira Copasa fechou com elevação de 4,39%. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo: .

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).