Lucro do Goldman Sachs supera estimativas no 2° trimestre

Reuters
Reuters

A receita de trading do Goldman Sachs dobrou, impulsionada pela grande volatilidade nos mercados

A receita de trading do Goldman Sachs dobrou no segundo trimestre, impulsionada pela grande volatilidade nos mercados de ações e títulos desde março, ajudando o banco a superar as estimativas de lucro trimestral por uma ampla margem.

As ações do banco subiam quase 4% nas negociações de pré-mercado, pois registraram um aumento de 93% na receita em sua unidade de mercados globais, protegendo-o da desaceleração econômica causada pela pandemia de coronavírus.

VEJA TAMBÉM: Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, e fique por dentro de tudo sobre empreendedorismo

O lucro líquido do banco aplicável aos acionistas ordinários aumentou 2%, para US$ 2,25 bilhões no trimestre encerrado em 30 de junho. O lucro por ação subiu para US$ 6,26, ante US$ 5,81 no mesmo período do ano anterior.

Os analistas esperavam um lucro de US$ 3,78 por ação, em média, de acordo com a Refinitiv.

A receita de banco de investimento saltou 36%, para US$ 2,66 bilhões. A receita geral aumentou 41%, para US$ 13,30 bilhões, superando por muito as estimativas.

O banco registrou um retorno sobre o patrimônio líquido (ROE) de 11,1% no trimestre e retorno sobre o patrimônio líquido tangível (ROTE) de 11,8%, duas medidas-chave de rentabilidade. O Goldman disse em janeiro que pretende entregar um retorno sobre o patrimônio de 13% e de 14% sobre o patrimônio tangível nos próximos três anos. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).