Medida de junho do BC dará incremento forte ao crédito a pequenas empresas, diz diretor

Adriano Machado/Reuters
Adriano Machado/Reuters

BC criou o chamado Capital de Giro para Preservação de Empresas (CGPE)

O diretor de Fiscalização do Banco Central, Paulo Souza, afirmou hoje (7) que haverá “incremento forte” para o crédito a pequenos negócios com o programa de capital de giro para preservação de empresas, que abarca desde microempresas até as com R$ 100 milhões de faturamento.

A medida havia sido anunciada em junho dentro de novo pacote do BC e envolve a otimização do uso de capital dos bancos para que, com o espaço liberado, turbinem novos empréstimos para micro, pequenas e médias empresas em até R$ 127 bilhões. Para tanto, o BC criou o chamado Capital de Giro para Preservação de Empresas (CGPE).

VEJA TAMBÉM: Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, e fique por dentro de tudo sobre empreendedorismo

Em audiência em comissão do Congresso, Souza afirmou que o mercado de crédito começou a mostrar sinais de arrefecimento a partir da segunda quinzena de maio, especialmente para micro, pequenas e médias empresas, e veio daí a percepção que um novo impulso passaria a depender de esforço fiscal por parte do Estado, assumindo ou compartilhando riscos com os bancos.

Ele afirmou que medidas do governo tomadas nesse sentido começaram a ganhar força a partir da semana passada, como o Pronampe. Souza também afirmou que o programa envolvendo garantia do Tesouro via FGI começará a trazer mais resultado a partir deste mês. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Inscreva-se no Canal Forbes Pitch, no Telegram, para saber tudo sobre empreendedorismo.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).