BC corta Selic à nova mínima de 2%

Adriano Machado/Reuters
Adriano Machado/Reuters

O Banco Central cortou hoje (5) a Selic em 0,25%

O Banco Central cortou hoje (5) a Selic em 0,25%, em linha com expectativa majoritária do mercado, à nova mínima histórica de 2% ao ano, e manteve a porta aberta para novos ajustes na taxa de juros à frente, embora tenha pontuando que, se vierem, eles serão ainda mais graduais e dependerão da situação das contas públicas.

“O Copom entende que a conjuntura econômica continua a prescrever estímulo monetário extraordinariamente elevado, mas reconhece que, devido a questões prudenciais e de estabilidade financeira, o espaço remanescente para utilização da política monetária, se houver, deve ser pequeno”, disse o BC, no comunicado do Comitê de Política Monetária (Copom).

LEIA MAIS: Forbes promove primeiro webinar sobre Saúde Mental nas empresas. Participe

“Consequentemente, eventuais ajustes futuros no atual grau de estímulo ocorreriam com gradualismo adicional e dependerão da percepção sobre a trajetória fiscal, assim como de novas informações que alterem a atual avaliação do Copom sobre a inflação prospectiva”, acrescentou.

Em pesquisa Reuters, 35 dos 41 analistas consultados haviam estimado uma redução desta magnitude, enquanto seis previram manutenção dos juros básicos em 2,25%.

Esta foi a nona redução consecutiva da Selic, dentro de ciclo de afrouxamento iniciado em agosto do ano passado, e veio após a autoridade monetária destacar em junho que um eventual ajuste futuro no grau de estímulo monetário seria residual. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).