Coty tem prejuízo pior do que expectativas com pandemia derrubando vendas

A fabricante de cosméticos Coty reportou hoje (27) um prejuízo trimestral maior do que o esperado e uma queda de 56% nas vendas, com o fechamento de lojas e salões, causado pelo coronavírus, prejudicando a demanda por seus produtos de beleza.

As ações da Coty, a maioria das quais detida pelo conglomerado alemão JAB Holding, caíam 4% nas negociações de antes da abertura.

LEIA MAIS: Após vender uma parte de sua empresa de cosméticos para a Coty, Kim Kardashian está próxima de se tornar bilionária

Em uma tentativa de se tornar mais ágil, a Coty agora está planejando vender ou fechar a maioria de suas fábricas e terceirizar mais operações para lidar com as consequências da crise da Covid-19, informou o “Financial Times” hoje, citando o presidente da Coty, Peter Harf.

A Coty não respondeu imediatamente a um pedido de comentário da Reuters.

As vendas em seu segmento produtos de beleza ao consumidor caíram cerca de 55%, enquanto as vendas de sua unidade de luxo despencaram 71% no quarto trimestre fiscal, encerrado em 30 de junho.

A receita líquida caiu para US$ 922,1 milhões, abaixo das expectativas de US$ 1,34 bilhão. Excluindo itens, a Coty teve prejuízo de US$ 0,51 por ação, acima das estimativas de US$ 0,12, de acordo com os dados da Refinitiv.

A empresa, no entanto, espera um retorno do lucro no trimestre atual, depois de ver uma melhora em seus negócios gerais nos últimos dois meses.

“Achamos que será difícil convencer os investidores de que a Coty está em uma trajetória melhor”, disse Lauren Lieberman, analista do Barclays. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).