Hapvida tem lucro 25% maior no 2º tri e diz ver normalização em demanda eletiva

Empresa afirmou que está preparada para aproveitar oportunidades de negócios no setor.

Redação
Compartilhe esta publicação:
Reprodução/Forbes
Reprodução/Forbes

Analistas, em média, esperavam que a Hapvida apresentasse lucro líquido de R$ 276,5 milhões

Acessibilidade


A operadora de planos de saúde Hapvida teve lucro líquido de R$ 278,6 milhões no segundo trimestre, uma expansão de quase 25% sobre o mesmo período do ano passado, impulsionada por aquisições e controle de despesas.

A companhia, que possui rede própria de atendimento e passou a expandir sua atuação para além das regiões Nordeste e Norte do país por meio de compras de redes de hospitais e clínicas, apurou lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) de R$ 607,8 milhões no período, mais que o dobro do obtido um ano antes.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

Em termos ajustados, excluindo as aquisições, o lucro recuou 20,5%, mas o Ebitda viu um avanço de 46,4%.

Analistas, em média, esperavam que a Hapvida apresentasse lucro líquido de R$ 276,5 milhões e Ebitda de R$ 616,3 milhões, segundo dados da Refinitiv.

Inscreva-se para receber a nossa newsletter
Ao fornecer seu e-mail, você concorda com a Política de Privacidade da Forbes Brasil.

A Hapvida afirmou no balanço que desde o início de junho começou a “endereçar” a carteira de cirurgias eletivas que tinham sido adiadas em função da epidemia de coronavírus e que mais de 90% delas, excluindo as regiões onde autoridades ainda não recomendam, já foram realizadas “sem impactos em nossas operações”.

Segundo a empresa, os atendimentos eletivos apresentam recuperação desde maio e “já estão próximos de 90% dos níveis históricos”.

O grupo afirmou ainda que o mercado de saúde suplementar no país segue com tendência de consolidação e que está preparado para aproveitar oportunidades de negócios no setor. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Compartilhe esta publicação: