Lucro da BRF recua para R$ 307 milhões no 2º trimestre

O lucro líquido da BRF sofreu uma queda de 5,5% em relação ao ano anterior

A BRF teve lucro líquido de R$ 307 milhões no segundo trimestre, queda de 5,5% em relação ao ano anterior, com a crise da Covid-19 aumentando custos e atingindo exportações, de acordo com dados divulgados hoje (13).

A companhia conseguiu manter os volumes de produção estáveis em 1,083 milhão de toneladas, mas o custo dos produtos vendidos – que geralmente se refere aos custos de fabricação de um produto – subiu 14,1% em relação ao ano anterior, pois a empresa teve que fazer ajustes em meio à pandemia de coronavírus.

LEIA MAIS: BRF conclui captações de linhas de financiamento no valor de R$ 2,4 bilhões

A BRF disse que teve que suspender preventivamente cerca de 8.200 funcionários, com pagamento, após o agravamento da pandemia.

O maior processador de frango do país também contratou cerca de 6.700 trabalhadores temporários para substituir aqueles em grupos de alto risco que tiveram que ficar em casa, enquanto também suspendeu outros funcionários potencialmente infectados após a BRF testá-los.

No trimestre, a BRF informou que a receita líquida de exportações diretas totalizou R$ 962 milhões, uma queda de 23,2% em relação ao ano anterior, refletindo os menores volumes embarcados no período, uma vez que os principais clientes estrangeiros perderam poder de compra.

O problema foi particularmente pronunciado no Oriente Médio, um mercado-chave para a BRF.

Apesar das adversidades e incertezas ligadas à pandemia, a BRF disse que aumentou o volume de alimentos processados, como margarinas, no mercado interno, vendendo mais produtos de maior valor agregado.

A receita líquida consolidada cresceu 9,2%, para R$ 9,1 bilhões no período, já que a empresa conseguiu aumentar em 10% o preço médio de todos os produtos vendidos no último trimestre.

O lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda) ajustado, uma medida do lucro operacional, caiu 33,3%, para R$ 1,031 bilhão no período, disse a empresa. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).