Ação do Facebook reduz alta após Kim Kardashian congelar conta na rede social

Mario Anzuoni/Reuters
Mario Anzuoni/Reuters

Com 188 milhões de seguidores no Instagram, Kardashian West tem uma das 10 contas mais seguidas em todo o mundo.

As ações do Facebook desaceleraram os ganhos após Kim Kardashian West tuitar que estaria “congelando” suas contas do Instagram e do Facebook.

A ação do Facebook chegou a US$ 269,55 após a declaração, depois de ter subido mais de 3% mais cedo. Depois, o papel recuperou espaço e mostrava alta de mais de 2% no fechamento preliminar.

VEJA MAIS: Facebook lança recurso para que usuários assistam vídeos juntos

“Junte-se a mim amanhã, quando estarei ‘congelando’ minha conta do Instagram e do Facebook para dizer ao Facebook #StopHateForProfit”, escreveu Kardashian West no Twitter. “A desinformação compartilhada nas redes sociais tem um impacto grave em nossas eleições e mina nossa democracia”, disse a estrela ao se juntar à campanha “Stop Hate for Profit”, que tem pressionado o Facebook a remover o discurso de ódio.

A campanha, lançada neste ano, ganhou o apoio de dezenas de grandes empresas em um boicote publicitário contra a gigante da mídia social.

Kardashian West, mulher de negócios e estrela de reality show, se tornou uma influente defensora da mudança social nos últimos meses, levando a questão da mudança climática para seus milhões de seguidores e fazendo lobby na Casa Branca para a reforma da justiça criminal dos Estados Unidos.

Com 188 milhões de seguidores no Instagram, Kardashian West tem uma das 10 contas mais seguidas em todo o mundo.

Ela planeja congelar suas contas a partir de quarta-feira. O Facebook não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

O Facebook recebeu críticas em relação ao tratamento do discurso de ódio em sua rede social. No início deste ano, centenas de anunciantes boicotaram temporariamente o Facebook.

Mais recentemente, a companhia disse que estava melhorando a detecção e remoção de incitação ao ódio antes das eleições gerais de Mianmar em novembro e que vai se juntar a grupos de direitos civis e especialistas para desenvolver mais ferramentas de combate ao discurso de ódio.

Outras celebridades e atores, incluindo Kerry Washington, Jennifer Lawrence e Sacha Baron Cohen, também tuitaram nesta terça-feira pedindo ao Facebook que faça mais para impedir a disseminação de desinformação. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).