Méliuz vai usar recursos de IPO para marketplace e aquisições

 MR.Cole_Photographer/Getty Images
MR.Cole_Photographer/Getty Images

Operação também servirá para vender parte das ações detidas na companhia por atuais sócios, cujos nomes não foram revelados

A administradora de programas de fidelidade e de cupons de descontos Méliuz pretende usar os recursos que levantar na oferta inicial de ações (IPO) para ampliar seu marketplace, serviços financeiros e para aquisições de empresas.

Leia mais: Clube de assinatura de vinhos Wine pede registro para IPO

De acordo com o prospecto preliminar, disponibilizado hoje (3), a operação também servirá para vender parte das ações detidas na companhia por atuais sócios, cujos nomes não foram revelados.

Juntos, Israel Fernandes Salmen, presidente, e Ofli Campos Guimarães, diretor de relações com investidores, detêm 50,3% do capital da companhia, sediada em Belo Horizonte.

O IPO da Méliuz será coordenado por Itaú BBA, BTG Pactual, Bradesco BBI e XP.

A companhia teve receita líquida somou R$ 56,4 milhões, alta de 61,1% ante mesma etapa de 2019. O Ebitda de janeiro a junho somou R$ 19,5 milhões, aumento de 420% ano a ano, com 34,6% de margem.

Leia também: Magazine Luiza compra AiQFome e estreia em encomendas de refeições

A Reuters havia publicado em agosto que a Méliuz, que tem parcerias com as varejistas Magazine Luiza, Lojas Americanas e Amazon, havia contratado bancos para coordenar seu IPO. (Com Reuters)

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Participe do canal Forbes Saúde Mental, no Telegram, e tire suas dúvidas.

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).