Taxa de desemprego registra leve queda na primeira semana de setembro, aponta IBGE

Mario Tama Equipa/GettyImages
Mario Tama Equipa/GettyImages

População total fora da força de trabalho somava 75 milhões de pessoas

A taxa de desocupação no Brasil registrou uma leve queda na primeira semana deste mês, a 13,7% entre 30 de agosto e 05 de setembro, ante 14,3% na semana anterior. São 13,044 milhões de desocupados no país no período, segundo dados da Pnad Covid Semanal divulgados na manhã de hoje (25) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A taxa de desocupação considera pessoas em idade para trabalhar, que estejam desempregadas e procuraram por trabalho no período pesquisado.

LEIA MAIS: Tudo sobre finanças e o mercado de ações

A população fora da força de trabalho (desempregada e que não procurou por emprego no período) somava 75 milhões de pessoas, estável em relação à semana anterior que registrou 74,4 milhões de pessoas. Desse total, 27,3 milhões (o mesmo que 36,4% da população fora da força de trabalho), disseram que gostariam de estar empregados.

Cerca de 17,1 milhões de brasileiros (22,8% da população fora da força) afirmaram que gostariam de trabalhar, mas não procuraram emprego no período. Entre os motivos, estão a pandemia e a falta de postos de trabalho em suas localidades. O contingente permaneceu estável em relação à semana anterior, quando 16,8 milhões de pessoas, o mesmo que 22,6%, se enquadravam no grupo.

Já a taxa de participação na força de trabalho entre 30 de agosto e 5 de setembro ficou em 56%, estável em relação ao período anterior de 56,3%.

Siga FORBES Brasil nas redes sociais:

Facebook
Twitter
Instagram
YouTube
LinkedIn

Siga Forbes Money no Telegram e tenha acesso a notícias do mercado financeiro em primeira mão

Baixe o app da Forbes Brasil na Play Store e na App Store.

Tenha também a Forbes no Google Notícias.

Copyright Forbes Brasil. Todos os direitos reservados. É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo desta página em qualquer meio de comunicação, impresso ou digital, sem prévia autorização, por escrito, da Forbes Brasil ([email protected]).